Porto Walter: aeroporto está tomado pelo mato; “não foi feito para provocar acidentes”

Reportagem tentou entrar em contato com Deracre; “essa pista foi feita para salvar vidas e não para provocar acidentes”, dispara prefeito

O aeroporto do município de Porto Walter, distante 700 quilômetros de Rio Branco e ligado apenas por via aérea e fluvial, está abandonado. A vegetação, que está na iminência de impedir o pouso e a decolagem das aeronaves, tomou conta das margens da pista e da passarela que dá acesso ao prédio. O Departamento de Estradas e Rodagens do Acre (Deracre) é o órgão responsável pela manutenção do local.

Aeroporto está tomado pelo mato/Foto: ContilNet

Aeroporto está tomado pelo mato/Foto: ContilNet

De acordo com os moradores do município, uma empresa terceirizada declarou falência e posteriormente afastou seus funcionários. Há mais de um ano não existe manutenção. “Este ano outra empresa contratou um trabalhador, mas o Deracre não ofereceu as condições para a execução dos serviços de limpeza”, disse um morador.

Sabendo do abandono e da necessidade do transporte aéreo, o prefeito Zezinho Barbary (PMDB) determinou que trabalhadores da prefeitura realizassem a limpeza do local. “Em 2012, o governo levou todas as maquinas do Deracre. No ano passado levaram as únicas roçadeiras e galoneiras”, denuncia o prefeito.

Barbary afirma que os pilotos arriscavam suas vidas e dos passageiros ao pousarem e decolarem em meio à capoeira/Foto: ContilNet

Barbary afirma que os pilotos arriscavam suas vidas e dos passageiros ao pousarem e decolarem em meio à capoeira/Foto: ContilNet

Barbary disse, ainda, que os pilotos arriscavam suas vidas e dos passageiros ao pousarem e decolarem em meio à capoeira.  “Essa pista foi feita para salvar vidas e não para provocar acidentes”, declara ele, pedindo apoio de outros órgãos para que a pista não seja interditada.

A reportagem tentou entrar em contato com o diretor-geral do Deracre, Cristovão de Pontes Moura, mas a sua chefe de gabinete informou que ele só poderia conversar com a imprensa após as 17h.

comentários

Veja também