Motoristas de Manoel Urbano registram filas de caminhões em atoleiro na BR-364

"Ônibus escolar ficou impedido de trafegar por causa do atoleiro”, disse um dos moradores

fotosbr2

Ônibus e caminhões ficam horas atolados na BR-364, entre Manoel Urbano e Sena Madureira/Foto: cedida

A novela da BR-364 ganha mais um capítulo. Desta vez, uma denúncia feita por moradores de Manoel Urbano mostra o transtorno causado pelo grande atoleiro na rodovia nos trechos entre o município e Sena Madureira. Segundo informações da comunidade, um engarrafamento com veículos grandes atolados impede a trafegabilidade dos demais, incluindo o ônibus escolar que transporta os alunos naquela região.

“Esse ônibus estava quebrado durante toda a semana, deixando os alunos sem aula por cinco dias. Quando enfim consertam, fica impedido de trafegar por falta de acesso causada pelo atoleiro”, disse um dos moradores.

atoleiros-horz

Carros pequenos precisam ser guinchados para sair de atoleiros

Nas imagens é possível ver a grande quantidade de barro em um dos trechos da BR-364, que já passaram por recuperação. A fila de caminhões atolados só aumenta, e motoristas ficam isolados sem poder seguir viagem.

Segundo o taxista Bruno da Silva, o atoleiro começa quatro quilômetros depois da ponte do rio Purus, sentido Manoel Urbano.

“A situação é crítica, semana passada o pessoal do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes  (Dnit) esteve jogando pedra e passando máquinas, mas não resolveu muita coisa. O serviço não aguentou nem a primeira chuva. Mais de 20 carretas ficaram atoladas gerando muito transtorno para conseguir desatolar todas. Hoje, com uma trégua das chuvas, que melhorou mais”, relatou o taxista.

A reportagem da ContilNet tentou contato com Superintendência do Dnit através do número (69) 3218-1100, mas não obteve sucesso.

fotosbr

 

comentários

Veja também