Após ser exonerado, assessor de Rivelino Mota assina contrato de R$ 203 mil com Prefeitura

O contrato assinado pelo atual prefeito e a empresa, sob responsabilidade de Ronald Suzuki, foi divulgado no Diário Oficial da última sexta-feira

Ronald Camargo Suzuki, ex-assessor da prefeitura da Santa Rosa do Purus /Foto: Reprodução

Ronald Camargo Suzuki, ex-assessor da prefeitura da Santa Rosa do Purus /Foto: Reprodução

Depois de um dia da publicação de exoneração do cargo de assessor da Secretaria Municipal de Administração e Planejamento da Prefeitura de Santa Rosa do Purus, Ronald Camargo Suzuki, representando a empresa Eco Engenharia, assina contrato de R$ 203.537,25 com o prefeito Rivelino da Silva Mota, no objetivo de realizar assessoria e consultoria para elaboração e implementação do Plano Municipal de Saneamento Básico do município.

A exoneração do agora ex-assessor da Prefeitura foi divulgada na última quinta-feira (7) com data retroativa de 1º de julho. Ronald, que foi nomeado como assessor em 1º de março deste ano, ficou somente quatro meses como cargo comissionado do município.

A assinatura do contrato para a elaboração do Plano Municipal de Saneamento Básico pode até não ser ilegal, mas não deixa de ser imoral. O contrato assinado pelo atual prefeito e a empresa, sob responsabilidade de Ronald Suzuki, foi divulgado no Diário Oficial da última sexta-feira (8), um dia depois da exoneração do ex-assessor.

O contrato de número n° 09/2016 ligado ao processo n° 035/2013 entre a Prefeitura de Santa Rosa e a empresa Eco Engenharia LTDA. se efetivou depois de licitação estabelecida em modalidade pregão presencial.

Prfeteito de Santa Rosa do Purús, Rivelino Mota /Foto: Reprodução

Prfeteito de Santa Rosa do Purús, Rivelino Mota /Foto: Reprodução

Também a empresa Eco Engenharia detém contratos para a realização do mesmo serviço no município de Assis Brasil, onde inclusive recebeu um aditivo com prazo de cinco meses para a execução dos trabalhos.

A reportagem tentou fazer contato com o prefeito Rivelino pelo número de telefone da Prefeitura, mas ninguém atendeu às ligações. Os responsáveis pela empresa Eco Engenharia também foram procurados, mas não foram encontrados. O espaço fica aberto para os citados se pronunciarem sobre o assunto.

comentários

Outras Notícias

Veja também