Caos toma conta da saúde do interior e Sesacre não tem resposta para a população

Condições sub humanas e seringas reutilizadas são problemas que merecem atenção e agilidade por parte da secretaria e seu gestor

Mesmo com o caos tomando conta da saúde pública do Acre, a Secretaria Estadual de Saúde não consegue ser ágil em dar uma resposta à população pelos absurdos que vêm acontecendo nessa área, que é um dos direitos básicos do cidadão.

A reportagem do site ContilNet recebeu uma grave denúncia de que enfermeiros do Hospital Geral de Feijó estariam reutilizando seringas nos pacientes, colocando assim centenas de vidas em risco de contrair doenças gravíssimas através desse tipo de material. Por conta disso, esta reportagem entrou em contato com a assessoria da Sesacre por diversas vezes, entretanto, até o fechamento desta matéria não recebemos nenhum posicionamento sobre o caso.

O que é de se estranhar é que são inúmeras as situações de descaso nas unidades de saúde, principalmente no interior do Estado, em que a Sesacre não consegue dar uma resposta à população sobre essas denúncias.

SERINGA1

Ontem mesmo, foi noticiado na ContilNet que o hospital de Sena Madureira está em estado de abandono, sem energia elétrica, transporte, medicamentos e até água na torneira não existe na unidade.

Ao tentar entrar em contato com a Sesacre, mais uma vez nenhuma resposta nos foi dada em tempo hábil e aproximadamente 6 horas depois, a assessoria de comunicação do órgão informou que ainda não possuía uma resposta para o que estava acontecendo na unidade de saúde do interior.

WhatsApp Image 2016-08-15 at 12.39.35

Falhas no sistema de saúde não são novidades na rotina do cidadão acreano, mas deixar que o povo fique sem resposta, ou no mínimo a esperança que situações como essas sejam solucionadas tem que ser visto como descaso.

Voltamos a alertar que condições sub humanas e seringas reutilizadas são problemas que merecem atenção e agilidade por parte da secretaria e seu gestor para solucionar tais casos.

 

comentários

Veja também