Sesacre não substitui médico e pai diz que não conseguiu atendimento para o filho

“Tinha que ter pelo menos um médico na emergência, mas não tinha, o que estava no período do dia saiu às 19h", denunciou Antônio Rufino

A reportagem do site ContilNet recebeu uma denúncia de um pai que procurou atendimento médico para o filho de apenas 10 meses de vida no Hospital Manoel Marinho Monte, em Plácido de Castro, por voltas das 20h desta segunda-feira (4), porém não tinha nenhum médico para examinar a criança, que chegou ao hospital passando mal e vomitando muito. De acordo com ele, o local passou a noite sem médico de plantão.

“Tinha que ter pelo menos um médico na emergência, mas não tinha, o que estava no período do dia saiu às 19h e o outro médico, que deveria estar a noite, está de licença paternidade. Isso é um absurdo! Se chegar alguém no hospital entre a vida e a morte não vai ter médico para atender”, desabafou Antônio Rufino.

hospital_m_marinho_monte_tjac_nov11_1

Hospital de Plácido de Castro estaria sofrendo com falta de profissionais /Foto: Reprodução

Ainda de acordo com Rufino, ele obteve informações com algumas enfermeiras de que o diretor do Hospital cedo enviou um documento para a Secretaria de Saúde do Estado, mas até o momento o secretaria não havia providenciado nenhum médico para o hospital.

whatsapp-image-2016-10-04-at-17-17-36

Antônio Rufino disse ser inaceitável chegar em um hospital que não possui médicos /Foto: Arquivo Pessoal

Além dele, um policial civil chegou atrás de médico para fazer um exame de corpo de delito e a resposta que foi dada a ele foi a mesma, de que não havia médico.

Esta reportagem entrou e contato com o diretor do hospital, que ficou de verificar o ocorrido e dar uma resposta em 15 minutos, após 30 minutos, ao tentar falar com ele novamente, a reportagem foi informada de que o diretor não se encontrava mais no hospital.

Em nota, a Secretaria Estadual de Saúde (Sesacre) confirmou a falta de médico no Hospital Manoel Marinho Monte, mas esclareceu que a equipe de gerência do hospital disponibilizou aos pacientes todo o atendimento que inicialmente se faria necessário, por meio de uma equipe de enfermagem reforçada, em conjunto com o Samu.

Sesacre emite nota de esclarecimento:

Nota de Esclarecimento

A Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre), por meio do Hospital Manoel Marinho Monte, localizado no município de Plácido de Castro, traz esclarecimentos a respeito do atendimento médico solicitado a uma criança de dez meses, na noite desta segunda-feira, 3, na unidade médica.

Segundo a gerência de Assistência do Hospital, o médico plantonista Carlos Renato Garcia, encontra-se de licença paternidade até sexta-feira, 7. No entanto, ao dar entrada na unidade, a equipe de enfermagem da unidade, em conjunto com a equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência e Emergência (Samu), se propôs a oferecer todo o atendimento que inicialmente se faria necessário à criança, o que foi recusado pelo pai, que decidiu levá-la de imediato para a unidade médica de Acrelândia.

Quando da ausência do médico plantonista, a equipe de gerência do Hospital Manoel Marinho Monte, disponibilizou aos pacientes, todo o atendimento que inicialmente se faria necessário, por meio de uma equipe de enfermagem reforçada, em conjunto com o Samu. Os casos mais complexos, seriam direcionados para as unidades mais próximas ao município, ou diretamente para a capital, Rio Branco.

A partir desta terça-feira, 4, a Sesacre disponibilizou um médico que já se encontra a disposição da unidade médica de Plácido de Castro para prestar atendimento à população.

Gerência de Assistência do Hospital Manoel Marinho Monte – Plácido de Castro (AC) (Sesacre)

Max-Laño Oliveira de Souza

 

comentários

Outras Notícias

Veja também