Piloto do avião da Lamia, que transportava o time da Chapecoense, era de Cobija

Micky era filho de Eduardo Quiroga, já falecido, e havia sido piloto da Fuerza Aerea Boliviana (FAB), onde chegou ao posto de oficial aviador antes de partir para a aviação civil

Miguel era de Cobija/Foto: Reprodução

A tragédia que se abateu sobre a cidade de Chapecó também teve seus reflexos negativos sobre a cidade boliviana de Cobija, na Bolívia. O comandante do voo da empresa LAMIA Corporation SRL, Miguel “Micky” Quiroga, era nascido na vizinha cidade boliviana, onde a família residia e possuía parentes no Brasil.

Micky era filho de Eduardo Quiroga, já falecido, e havia sido piloto da Fuerza Aerea Boliviana (FAB), onde chegou ao posto de oficial aviador antes de partir para a aviação civil. Ele estudou na instituição de ensino Colmilav e frequentou “Liceo Militar Tte. Edmundo Andrade”. Era casado com Daniela Pinto, filha do ex-senador Roger Pinto, e tinha um casal de filhos.

unnamed-30

Micky era casado e tinha um casal de filhos/Foto: Reprodução

O piloto já possuía razoável experiência como piloto desde a experiência como militar da FAB, com diversos voos pela floresta amazônica boliviana. Na Lamia, já havia viajado por diversos aeroportos pelo mundo, inclusive comandando viagens pelos aeroportos da Europa.

O ex-piloto militar tinha por hábito comandar voos fretados para equipes de futebol, tendo transportado a seleção boliviana e times de futebol, inclusive já havia transportado o próprio time da Chapecoense. Segundo os diretores da equipe brasileira, Micky já era considerado um amigo da equipe, dado o tempo já passado junto em outras viagens.

comentários

Veja também