Diretor da Associação dos Agepens se diz surpreso com prisão de colega por parte da PF

Agente negou as acusações em conversa com presidente da Asspen. Segundo colegas, o servidor tinha ficha limpa prestava serviços sociais no Bairro Taquari

whatsapp-image-2016-12-01-at-17-30-57-1

José Janes /Foto: ContilNet

O presidente da Associação dos Servidores do Sistema Penitenciário do Acre (Asspen), José Janes, disse que ficou surpreso com a prisão de um agente penitenciário (Agepen) por parte da Polícia Federal. O agente detido é odontólogo e tem trabalhos sociais voluntários prestados no bairro Taquari, sendo um servidor sem manchas profissionais. O suspeito negou todas as acusações.

Janes destacou que os Agepens têm cortado na carne e que 90% dos colegas presos foram identificados pelos próprios agentes de profissão. Mas o sindicalista destacou que o colega preso pela PF não tinha perfil ou apresentava comportamento incompatível, tendo a prisão causado surpresa.

“Temos de aguardar as investigações da PF. Não podemos afirmar ser o colega inocente ou culpado, mas a associação precisa apoiar o servidor e o nosso advogado está aqui acompanhando. O que podemos dizer é que é um trabalhador exemplar, cumpridor de horários”, comentou.

O sindicalista destacou que o detido fazia um trabalho social no bairro Taquari, como dentista: “Ele nasceu e trabalhava lá. Não podemos julgar. Não havia nenhuma manifestação de ilícito no padrão de vida dele. Estivemos rapidamente com o preso e ele negou todas as acusações”. A Asspen pretende acompanhar o processo e esperar os desdobramentos.

comentários

Veja também