Temer oferece ajuda, mas Roraima diz que controlou situação

Temer colocou "todos os meios federais à disposição" para ajudar na segurança pública do estado

O presidente da República, Michel Temer, ofereceu nesta sexta-feira (6) ajuda federal para Roraima após ao menos 31 presos terem sido encontrados mortos na Penitenciária Agrícola de Monte Cristo, em Boa Vista, informou a Secretaria de Imprensa da Presidência por meio de nota. Inicialmente, o governo havia confirmado 33 mortes (leia a íntegra da nota ao final da reportagem).

Temer ofereceu ajuda ao estado de Roraima para contornar situação de crise /Foto: Reprodução

De acordo com a nota, em conversa telefônica nesta sexta com a governadora do estado, Suely Campos (PP), Temer colocou “todos os meios federais à disposição” para ajudar na segurança pública do estado.

Ainda segundo a nota, a governadora respondeu ao presidente que a “situação já se encontra sob controle” e que, no momento, a presença federal não se faz necessária.

Além disso, a Presidência informou no comunicado que a governadora de Roraima agradeceu a liberação de R$ 45 milhões pelo governo federal para a construção de uma nova penitenciária e para a compra de equipamentos de segurança e armamentos.

No entanto, depois de Temer conversar por telefone com a governadora de Roraima, que é filiada ao PP – partido que integra a base de apoio do peemedebista –, a assessoria do Ministério da Justiça informou que o titular da pasta, Alexandre de Moraes, cancelou uma viagem que havia sido anunciada pela manhã para a capital de Roraima.

Moraes pretendia ir a Boa Vista na tarde desta sexta para vistoriar a penitenciária na qual ocorreu a morte de mais de 30 detentos e oferecer apoio do governo federal, a exemplo do que fez no início da semana em Manaus, onde outro massacre em presídio deixou, pelo menos, 56 mortos.

A assessoria do Ministério da Justiça disse ao G1 que o cancelamento da viagem se deu porque, na conversa com Temer, a governadora de Roraima afirmou que não havia necessidade de o ministro ir até o estado.

Massacre

Nesta sexta, o governo de Roraima informou ter encontrado ao menos 33 mortos no presídio em Boa Vista. Segundo o secretário de Justiça e Cidadania, Uziel Castro, não houve rebelião, e a matança seria de responsabilidade de presos do Primeiro Comando da Capital (PCC) que estavam concentrados neste centro de detenção.

Após o episódio, o ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, disse em entrevista coletiva que “aparentemente”, as mortes registradas não são uma “retaliação” após a rebelião no Complexo Penitenciário Anísio Jobim, em Manaus, que deixou 56 mortos na última segunda.

Veja a íntegra da nota divulgada pela Presidência da República:

Nota à imprensa

O presidente Michel Temer telefonou hoje para a governadora de Roraima, Suely Campos, colocando todos os meios federais à disposição para auxiliar em ações de segurança pública, após a morte de mais de 30 presidiários na Penitenciária Agrícola de Monte Cristo. Temer lamentou o episódio e se solidarizou com o povo do Estado.

A governadora informou que a situação já se encontra sob controle e, neste momento, não será necessária a presença federal. Ela agradeceu a liberação pelo governo federal de R$ 45 milhões do Fundo Penitenciário, na última semana de 2016, para a construção de nova unidade prisional e para compra de equipamentos e armamentos destinados à área de segurança de Roraima.

Ficou acertado que as autoridades estaduais manterão permanente contato com o Ministério da Justiça para trocar informações sobre a evolução da situação de segurança em Boa Vista.

Secretaria Especial de Comunicação da Presidência da República

comentários

Veja também