Solidariedade: um partido novo para quem busca espaço na nova política estadual

Presidente estadual do partido diz estarem abertas as portas para quem ainda não tem mandato e a meta é eleger três deputados estaduais e um federal junto à oposição

A nova direção do Solidariedade avisou: nosso partido está aberto a candidatos sem mandato e nossa meta é eleger bons quadros para a Assembleia Legislativa e para a Câmara Federal. A presidente regional do partido, Marcia Bittar, está em atividade permanente para criar os diretórios municipais e se preparar para as eleições de 2018 em conjunto com os demais partidos de oposição.

Marcia Bittar ressaltou o fato do partido não ser apenas uma legenda auxiliar ou mais uma sigla de aluguel, mas uma agremiação com corpo e vontade própria, mas ligado e identificado com a oposição. “O solidariedade se reinventará. Recentemente fizemos uma visita a nove municípios no Estado e verificamos ser grande a possibilidade de crescimento. A nossa estratégia é de eleger ao menos um deputado federal e três estaduais. Para isso, vamos preparar uma chapa para contemplar todas as regiões do Estado”, informou Marcia.

Conforme revelou a dirigente partidária, o foco do Solidariedade no Acre é abrir um espaço para pessoas com boas votações, mas ainda não eleitas: “O que vimos é a existência de muitos candidatos com boa votação, mas sem mandato. São suplentes de vereador, de deputado, candidatos a prefeito que ficaram em segundo lugar. Estes, se estiverem em um partido sem outro candidato com mandato, teriam mais facilidade para se elegerem em 2018”.

Marcia destacou o fato do Solidariedade também vir a buscar aliança com partidos com este mesmo perfil e sem políticos com mandato. Para isso, o partido está realizando ajustes e preparando os diretórios municipais. “Estamos buscando uma sede regional para o partido e dentro de nossas possibilidades financeiras. A inauguração será uma festa com a filiação de muitos líderes e com a presença do presidente do partido, deputado federal Paulinho da Força Sindical”, complementou.

comentários

Veja também