“A prisão de Aécio e a queda de Temer serão as chaves da cadeia de Lula”, diz advogado

O advogado Edinei Muniz passou o dia aconselhando petistas que faziam festa pela internet

Grande interrogação

O pais acordou com uma grande interrogação: quem será o futuro presidente do país caso Michel Temer não consiga terminar o seu mandato. O terremoto na política acontece no exato momento em que a economia dava sinais de recuperação. A delação do presidente da JBS, Joesley Batista, sacudiu Brasília.

Joesley Batista ao lado de Michel Temer /Foto: Reprodução

Conteúdo

A conversa mantida entre o empresário Joesley Batista e o presidente Michel Temer no Palácio do Jaburu revela que o peemedebista tomou conhecimento de um plano para destituir um procurador da República que investigava o grupo JBS de Batista, mas não reagiu de forma contrária à estratégia.

O dia do fico!

O áudio que revela a conversa entre o presidente e Joesley foi liberado ainda ontem, depois que o presidente disse ao pais que ficaria no cargo. “Não renunciarei. Repito: Não renunciarei! Sei o que fiz e sei da correção dos meus atos. Exijo investigação plena e muito rápida para os esclarecimentos ao povo brasileiro. Meu único compromisso é com o Brasil, e só este compromisso me guiará!”, disse Temer.

Governabilidade

Para analistas políticos, embora o presidente tenha sido firme em seu pronunciamento, colocando inclusive dados econômicos em seu apelo, dentro do Congresso Nacional, onde ele precisa de apoio, a coisa não é tão simples assim.

Caiu por terra

A principal diferença entre as crises vividas pela ex-presidente Dilma Rousseff, do PT, que Temer tanto usou como argumento, de que ele, diferente de Dilma tinha apoio no Congresso, parece ter caído por terra. Cada dia será decisivo para Temer, o PMDB e o Brasil.

Redes sociais

Dois dias após a notícia, internautas continuam fazendo piadas com os desdobramentos do caso, que abalou o cenário político do país. Além de Michel Temer, o senador Aécio Neves é alvo das gozações pelas redes sociais. Memes no celular: a reação da internet à delação da JBS.

Pegou de surpresa

A crise envolvendo o partido pode ter colocado panos frios em um grupo do PSDB do Acre que viajou a Brasília para detonar uma candidatura do partido ao Senado Federal. Pelo visto, a tentativa ficou apenas nas selfies tiradas nos corredores do Congresso.

Contraponto

O PSDB nacional tem espalhado pelas redes sociais informações sobre os irmãos JBS, que, segundo campanha digital, embolsaram R$ 20 bilhões do BNDES. Ainda segundo o que rola pela internet, o grupo deve R$ 50 bilhões e não tem previsão de pagar.

Aécio e Lula em um momento de descontração /Foto: Reprodução

Patrimônio

Ainda de acordo com informações de integrantes do PSDB, a empresa JBS cresceu de R$ 600 milhões para R$ 150 bilhões nos 12 anos de governo do PT no Brasil. Os empresários, alegando ameaças de morte, moram em Nova Yorque.

Prisão de Aécio e Lula

O advogado Edinei Muniz passou o dia anunciando que uma suposta prisão de Aécio Neves e a queda de Michel Temer pode ser um prenúncio da prisão de Lula. Ele aconselhou os petistas que faziam festa pela internet.

Lula ao lado de Temer /Foto: Reprodução

Abre aspas

“Os petistas são corruptos, engraçados e burros. Calem-se, suas antas. A prisão de Aécio e a queda de Temer serão as chaves da cadeia de Lula. Vão rezar pro Temer ficar, suas antas” comentou Edinei.

Terremoto

O dólar fechou com a maior alta dos últimos tempos, um terremoto no cenário econômico favorável que vinha em curso. Reforma da previdência e trabalhista suspensas, dúvidas, incertezas, aumento de estresse, fuga de investidores. Tudo em baixa.

Perdeu apoio

A crise envolvendo o presidente Michel Temer repercutiu na agenda do governo para as reforma da Previdência e Trabalhista. O relator da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 287/2016, a chamada PEC da Previdência, Arthur Maia (PPS/BA), disse ontem (18) que “não há espaço” para avançar no tema.

Chuva de impeachment

As denúncias feitas pelo empresário Joesley Batista, dono da JBS, contra o presidente Michel Temer desencadearam a apresentação de oito pedidos de impeachment para afastar o peemedebista da presidência da República. A delação premiada de Batista foi homologada pelo Supremo Tribunal Federal (STF) e o ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato na Corte, autorizou a abertura de inquérito para investigar Temer.

Sem radar

Uma lei estadual do Rio de Janeiro vai tirar radares controladores de trânsito em lugares perigosos. A medida divide a opinião dos moradores da cidade maravilhosa. A maioria, insegura, apoia o deputado Dionisio Lins (PP), autor da lei.

Competência

Uma coisa é certa. Karla Martins, presidente da Fundação Elias Mansour (FEM), não pode ser colocada no centro dessa crise governamental de investimentos na área Cultural. Ela vem administrando com muita competência o setor e defende veementemente o fortalecimento da identidade do povo acreano.

comentários

Veja também