App rastreador faz piada com pacotes dos Correios presos em Curitiba

Site permite enviar marmitas e cigarros para encomendas que ainda estão sendo analisadas.

A longa espera pela liberação de encomendas internacionais na Alfândega brasileira virou piada. O site Presos Em Curitiba (presosemcuritiba.com.br) , criado pelos mesmo donos do aplicativo Muambator ─ que rastreia os pacotes cadastrados em seu sistema ─ permite ao internauta enviar uma marmita ou um cigarro para ajudar a mercadoria a sobreviver à demora no processo de liberação na “prisão”. A plataforma foi criada a partir de uma análise de dados do Muambator, publicada no Medium.

Segundo o diretor da Bode, que criou o Muambator, Cícero Raupp Rolim, após a publicação da análise, começaram a surgir e-mails com sugestões de dados que poderiam ser retirados do sistema, dentre os quais os de pacotes presos em Curitiba foi um dos mais pedidos. A partir daí surgiu a ideia de criar o site.

A brincadeira que também permite compartilhar o contador no Facebook surgiu como uma saída para fazer uma estimativa do grande número de pacotes presos no sistema. “A gente sabe que filtrar todos os pacotes que vêm do exterior não é uma tarefa fácil e que leva tempo” , aponta Rolim, sobre o desafio dos Correios.

A ideia que deu origem ao nome do site surgiu porque o Brasil possui três Centros de Tratamento Internacional (CEINT), localizados em São Paulo, Rio de Janeiro e Curitiba, sendo que este último é responsável por todas as encomendas que custam menos de US$ 50. Ou seja, a grande maioria dos pacotes internacionais.

Contudo, segundo os resposáveis pela plataforma, o site não é uma forma de pressionar os Correios nem um contador oficial de encomendas “presas” — ou, pelo menos esperando no local. “O Presos Em Curitiba é realmente uma brincadeira, e a nossa intenção continua não sendo essa [pressionar]”, disse.

Site mostra número de pacotes esperando análise para entrega (Foto: Divulgação/Muambator)

Contador não oficial

Além disso, o Muambator só consegue ver se a mercadoria está “presa”, caso essa tenha sido registarada no app, porque há uma contagem dos pacotes cadastrados que vieram do exterior, mas que estão presos na capital do Paraná — terra das capivaras. Os dados usados no site são do Muambator e não são oficiais dos Correios). O site e aplicativo oferece rastreamento de encomendas similar ao serviço de rastreio oficial dos Correios, mas reúne um número maior de opções de customização, alertas a cada etapa e controle com histórico de encomendas.

Como o serviço depende de informações enviadas por usuários, o número de pacotes informado no site é apenas uma estimativa inferior ao verdadeiro, uma vez que os próprios Correios não informam o número de pacotes existentes nos CEINT, por razões de estratégia de mercado, de acordo com a empresa.

comentários

Outras Notícias

Veja também