Quadrilha rende mãe e filhos durante assalto e levam carro e moto da família

Mulher chegava em casa com a filha de 5 anos quando foi rendida, na noite de quarta (11), no bairro Vila Acre

Cinco homens invadiram uma casa na noite de quarta-feira (11) e renderam uma mulher e os dois filhos dela, de 5 e 22 anos. O assalto aconteceuno Ramal do Pastor, na Vila Acre, em Rio Branco. Durante ação, a quadrilha amarrou as vítimas e fugiu com vários objetos, dinheiro, um carro e uma moto. Nas redes sociais, a família divulgou fotos dos veículos roubados para tentar encontrá-los.

O apontador Antônio Carlos Gonçalves, de 37 anos, contou ao G1 nesta quinta (12) que a mulher dele, de 43 anos, estava chegando em casa com a filha do casal quando os criminosos anunciaram o assalto e as levaram para dentro dacasa. Após alguns minutos, o enteado do apontador chegou na casa e também foi rendido.

“Eles [criminosos] estavam em um corola prata parado em frente da casa, mas ela não desconfiou. O vizinho, que é casado com a irmã dela, viu, mas pensou que era amigo. Não desconfiou de nada. Quando foi abrir o portão, os caras renderam ela e anunciaram o assalto. Fugiram com a caminhonete da minha mulher e a moto do filho dela”, confirmou.

Veículos foram levados do Ramal do Pastor, bairro Vila Acre, por quadrilha (Foto: Arquivo pessoal)

Ainda segundo o homem, as vítimas foram amarradas dentro do quarto do casal enquanto a quadrilha pegava os objetos. Os criminosos estavam com o rosto descoberto e, segundo o relato da mulher do apontador, um deles chegou a jogar um lençol em cima dela. Para Gonçalves, o bandido ia matar a mulher dele.

“Teve uma hora que jogaram um lençol, acho que iam matá-la, mas o outro cara disse ‘não, olha a filhinha dela’. Acho que iam matar porque ela viu o rosto de todos”, falou.

Apesar do susto, o apontador disse que a filha ficou tranquila e acalmou a mãe. A família foi encontrada por um cunhado da mulher, que foi na casa, percebeu algo estranho e entrou no quarto. A polícia foi acionada e atendeu a ocorrência.

“Ela [filha] ficou mais tranquila, graças a Deus. Ficou dando conselhos para a mãe. O bom foi que não aconteceu nada, não agrediram elas”, concluiu.

comentários

Veja também