Tião confirma o que coluna vem dizendo: “Estamos pior que nos tempos de Escobar na Colômbia”

Só tiramos exemplos do que acontece próximo e, por isso, o governador quer a realização do evento sobre segurança no Acre

Quem será o Pablo de hoje?

Ao anunciar a vinda ao Acre do presidente Michel Temer, o governador Tião Viana (PT) confirma que os dias de hoje é semelhante aos tempos em que Pablo Escobar comandava o Cartel de Medelin, realizando a completa desordem com o narcotráfico e as ondas de assassinatos e ataques violentos na Colômbia.

Ele confirmou o que a coluna dizia

A coluna já havia analisado essa situação e publicado algumas vezes a situação desde 2016. Destacou tudo isso depois do início das ondas de incêndio a ônibus, homicídios registrados todos os dias e uma declarada guerra entre as facções no Acre, mostrando uma sociedade semelhante a vivida nas décadas de 80 e começo de 90 com o grupo de Pablo Escobar medindo forças contra o Estado Colombiano.

Violência começou a assustar a população com o terrorismo de facções queimando ônibus/Foto: Reprodução

Terá seus ganhos

Na verdade, o governado Tião Viana tirou um retrato do Brasil, mas deixou claro que o Acre também vive uma situação difícil e que sua gestão à frente Segurança Pública não tem conseguido controlar. Só tiramos exemplos do que acontece próximo e por isso, o governador quer a realização do evento sobre segurança no Acre. Além de ganhar politicamente poderá receber recursos importantes do Governo Federal para administrar o combate ao tráfico na região de fronteira.

O Governador Tião Viana organizando com o presidente Michel Temer evento no Acre/Foto: Assessoria

Problema da Segurança criado pelo PT

Quando o PT comandava a Presidência da República com Lula e Dilma, ações dessa natureza não foram propostas pelo governo petista no Acre. Agora querem colocar a culpa em Michel Temer, mas não esqueçam que esse problema foi gerado pela falta de políticas públicas de combate à violência dos 13 anos de governo petista no país.

Ele não deixou seu legado

O deputado Heitor Junior (PDT) continua seu trabalho relacionado à área da saúde em todos os municípios. O parlamentar, mesmo com as adversidades da vida, vem trabalhando para garantir o que sempre prometeu ao seu eleitorado, sua presença com ações importantes de melhorias na saúde e, principalmente, na conscientização e prevenção. A população acreana, com o luta de Heitor, ganhou muito informações de combate e prevenção as hepatites virais. Essa bandeira é do parlamentar e ninguém pode negar esse exemplar trabalho que faz a mais de uma década.

Precisa dizer quem quer agradar

O deputado Raimundinho da Saúde (Podemos) tem que saber que uma palavra dita na tribuna da Assembleia Legislativa pode afetar diretamente sua relação com os gestores do governo e os aliados. Ou enfrenta os debates até o fim ou nem comece, deputado. Os líderes da Frente Popular não perdoam os que querem criticar e agradar ao mesmo tempo. Se cuida!

Na hora certa

“O PMDB terá uma chapa forte para deputado estadual em 2018. Na hora certa vamos chamar quem deve ser chamado e faremos uma boa composição. Não se abre mão de situações importantes por olhos verdades de ninguém”, disse um dirigente da sigla à coluna, que respondeu dessa forma o questionamento se a oposição não queria aliança com o partido na chapa de estadual, tendo em vista os nomes dos atuais parlamentares.

Arestas criam dissidentes, oposição!

Oposição precisa se entender e deixar de brigas particulares que acabam criando arestas para mais na frente dissidências acontecerem como foi o caso do casal Vieira do município de Sena Madureira, que ficaram isolados depois da derrota nas eleições de 2014 e 2016, tendo que buscar o apoio da Frente Popular na região que sempre agrediu as duas lideranças. Foi o único jeito de o casal continuar vivo na política local.

PROS na oposição

“O principal articulador da vinda do PROS para a oposição foi o senador Sérgio Petecão (PSD)”, disse a coluna um amigo do doutor Beiruth, que deverá ser o presidente da sigla no Acre. O médico especialista deixou o PR há algum tempo por discordância de rumos políticos da sigla com a presidente do partido no Acre, ex-deputada Antônia Lúcia.

Conversas avançadas

O coronel Ulysses pode até se sacrificar e montar uma chapa com candidaturas ao Senado, deputados federais e estaduais encabeçada por ele como candidato a governador em 2018. Não será nada fácil, mas já tem três partidos conversando sobre o assunto em situação avançada para isso se concretizar.

Coronel Ulysses vai para o sacrifício para garantir palanque de Bolsonaro no Acre/Foto: Reprodução

Ele preocupa a esquerda

Na verdade, o apoio às propostas de combate à violência, corrupção e retomar o ordenamento dos direitos e deveremos da sociedade, levantadas pelo deputado Jair Bolsonaro (Patriotas) tem atraído vários seguimentos da sociedade. Essa é a grande preocupação da esquerda brasileira que tem combatido os argumentos levantados por Bolsonaro em todos os lugares do país.

comentários

Veja também