Operação Fortress é desencadeada pela PF com buscas e apreensões no Acre e outros estados

Ação federal busca desarticular quadrilha de tráfico e lavagem de capitais em vários Estados do país

A Polícia Federal, através da Delegacia de Repressão a Entorpecentes (DRE/SR/DPF/RO) e do Grupo de Investigações Sensíveis (GISE/PVH), deflagrou na última quarta-feira (18), a operação intitulada “Fortress”. A ação tem como principal objetivo desarticular uma associação criminosa voltada para o tráfico de drogas e lavagem de capitais em diversos Estado do país.

Ao todo, foram expedidos 20 (vinte) mandados de prisão preventiva, 06 (seis) mandados de prisão temporária, 16 (dezesseis) de condução coercitivas, 35 (trinta e cinco) mandados buscas e apreensões nos estados do Acre, Rondônia, Mato Grosso, Goiás, Amazonas, Ceará e no Distrito Federal.

A investigação teve início no mês de maio de 2017 após o recebimento de informações dando conta de que indivíduos com antecedentes criminais relacionados com o crime de tráfico de drogas continuavam a se dedicar a atividades criminosas, inclusive utilizando-se de empresas constituídas em Porto Velho para a lavagem do capital ilícito obtido com a venda de drogas.

Ação federal começou em maio deste ano e estourou com apreensões diversas dos investigados/ Foto: Reprodução

O grupo principal se situava em Porto Velho, de onde comandava a aquisição das drogas e o contato com o fornecedor. Inicialmente, o transporte dos entorpecentes se realizada por via terrestre desde o estado de Rondônia até Fortaleza (CE).

Com o interesse em aumentar os ganhos ilícitos, o grupo criminoso passou a realizar o transporte pela via aérea, cabendo esta responsabilidade a um segundo grupo, radicado no Estado do Mato Grosso. Por fim, restou identificado um terceiro grupo responsável por receber e ocultar as cargas de materiais entorpecentes para posterior distribuição na capital do Ceará.

Ao longo das investigações foram apreendidos cerca de 600 kg de cocaína nas cidades de Porto Velho, Vilhena e Juara/MT. Em uma das abordagens foi possível realizar a interceptação de uma aeronave no exato momento em que realizava o reabastecimento para seguir viagem com destino ao Nordeste, sendo apreendidos 239 kg (duzentos e trinta e nove quilos) de cocaína em seu interior.

Visando atingir o patrimônio dos investigados, também foram apreendidos diversos automóveis, alguns de alto luxo e elevado valor patrimonial, e uma das aeronaves utilizadas para o transporte das drogas, sendo determinado, ainda, o bloqueio judicial das contas bancárias de 32 (trinta e dois) alvos e 08 (oito) empresas utilizadas para a lavagem do capital ilícito.

Com informações do site rondoniagora.com

comentários

Outras Notícias

Veja também