MPAC pede julgamento do porta-voz de Tião Viana por suposta prática de improbidade administrativa

Leonildo Rosas teria utilizado dinheiro público para transmitir nota de apoio ao Governo durante Operação G7

O Ministério Público do Acre (MPAC), na figura do promotor Adenilson Souza, pediu o julgamento do porta-voz do Governo do Acre, Leonildo Rosas, na Vara de Execuções Fiscais da Comarca de Rio Branco.

A suspeita diz respeito a suposta prática de improbidade administrativa por parte de Rosas enquanto atuava como diretor-presidente da Fundação Aldeia de Comunicação durante o primeiro mandato de Tião Viana. O ex-gestor chegou a ser condenado em 1ª instância, mas ao recorrer conseguiu a reversão da pena, sendo absolvido junto a 1ª Câmara Civil de Rio Branco.

A denúncia do qual foi inocentado tratava a respeito da utilização de recursos públicos para emitir nota de apoio ao Governo em emissoras locais, colocando em dúvida argumentos utilizados pela Polícia Federal durante a deflagração da Operação G7. De acordo com a denúncia, o montante de R$ 87 mil teria sido repassado dos cofres públicos às emissoras.

O pedido atual de julgamento surgiu em caráter de antecipação. De acordo com a promotoria, já existe sentença favorável ao réu comprovando que não houve dano ao erário, sendo assim toda burocracia em torno do processo seria evitada, assim como o surgimento de uma sentença diferente para o mesmo objeto.

comentários

Outras Notícias

Veja também