Nova superintendente da PF no Acre poderá ser uma delegada especialista em crimes na Internet

Diretor-geral deve trocar ao menos 12 superintendentes da PF e manter 9 da gestão anterior

Pelo menos 12 dos 27 superintendes regionais da Polícia Federal deverão passar por uma leve dança das cadeiras. O anúncio foi feito pelo G1 ao falar do novo diretor-geral da Polícia Federal, Fernando Segóvia. No Acre, uma mulher deve assumir a superintendência. De acordo com informações cedidas ao veículo, Diana Calazans Mann é o nome mais cotado para ocupar a cadeira. A decisão ainda não foi confirmada.

Diana é delegada e já atuou na Unidade de Repressão aos Crimes de Ódio e Pornografia Infantil pela Internet (URCOP), um de seus trabalhos mais memoráveis. Foi ela quem comandou, em 2015, uma operação da PF que prendeu 51 criminosos que praticavam pedofilia na Deep Web, uma camada da Internet inacessível para buscadores padrão.

Ela é graduada em Direito pela Universidade Federal de Santa Maria (2001) e tem experiência na área de Direito, com ênfase em Direito Público. De acordo com informações do G1, seu último oficio foi na decisão de direitos humanos da Polícia Federal.

Diana é especialista em crimes na Internet/Foto: Reprodução

Fora o Acre, outras 6 unidades de federação devem receber uma mulher no posto. No Acre, caso as informações se concretizem, será a primeira vez que uma mulher assume o posto. Em todo o país, só 9 superintendentes ficam intactos em suas cadeiras, muito por conta de investigações que estão envolvidos: São Paulo, Rio de Janeiro, Distrito Federal, Bahia, Ceará, Roraima, Amazonas, Rio Grande do Sul e Goiás são aqueles que serão provavelmente mantidos nos cargos pela nova gestão – nomes como o de Disney Rossetti (SP), Jairo Souza da Silva (RJ) e Élzio Vicente da Silva (DF).

Além do Acre, Santa Catarina, Paraná, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Sergipe, Alagoas, Rio Grande do Norte, Piauí e Maranhão devem receber novos nomes.

comentários

Outras Notícias

Veja também