Obituário: os carros que saíram de linha no Brasil em 2017

Neste ano, modelos bem-sucedidos como Palio e Punto saíram de cena para dar lugar ao Argo

Em 2016, a Fiat deixou de fabricar e importar diversos modelos para iniciar a renovação de seu portfólio no Brasil. Neste ano, modelos bem-sucedidos como Palio e Punto saíram de cena para dar lugar ao Argo, enquanto carros defasados e versões com baixo volume de vendas de outras marcas também saíram de linha. Veja abaixo os carros que deram adeus ao mercado brasileiro em 2017:

Volkswagen CrossFox

Agora com apenas duas versões (Connect e Extreme), a linha Fox foi enxugada para se enquadrar à nova estratégia de compactos da Volks. O CrossFox deixa de existir para não invadir a faixa de preços do novo Polo. O modelo será substituído até 2020 por um crossover derivado da plataforma MQB A0.

Volkswagen SpaceCross

A versão aventureira da perua derivada do Fox saiu de linha por conta do baixo volume de vendas, prejudicado pelo preço elevado (chegava a custar cerca de R$ 100 mil com todos os opcionais) e pela invasão dos SUVs compactos.

Volkswagen Golf Comfortline 1.6 MSI 

Embora a fabricante não confirme o fim da produção, a versão nem aparece mais no configurador de veículos no site da marca. A variante equipada com o motor 1.6 16V de 120 cv nunca vendeu bem e foi criticada por entregar desempenho abaixo do esperado para um carro da categoria do Golf.

Volkswagen CC

A variante cupê de quatro portas da geração anterior do Passat não é mais oferecida por ter saído de linha na Europa, onde foi substituída pelo Arteon. O novo modelo ainda não tem previsão de chegar ao Brasil.

Volkswagen Fusca

Além de vender pouco por aqui, o Fusca sairá de linha este ano no México, onde é produzido, para liberar espaço na fábrica de Puebla à linha de produção da nova geração do SUV Tiguan – que será vendido no mercado brasileiro em 2018.

Volkswagen Tiguan 

O SUV ainda aparece no configurador do site da Volks, mas fontes ligadas a concessionárias da marca dizem que restam poucas unidades nos estoques das lojas. O Tiguan atual será substituído no ano que vem pelo Tiguan Allspace, versão de sete lugares da nova geração que será importada do México.

Fiat Palio

Depois de 21 anos, o compacto que já foi líder de vendas no Brasil deixa de ser produzido – a segunda geração, de 2011, também foi descontinuada na Argentina. O veterano modelo foi substituído de vez pelas versões 1.0 do Uno e pelo novato Argo.

Fiat Punto 

Outro modelo que saiu de cena para dar lugar às versões intermediárias e topo de linha do Argo no processo de renovação de portfólio da Fiat na América Latina.

Fiat Grand Siena Attractive 1.4 e Essence 1.6

As versões intermediária e topo de linha sairam de linha para dar lugar ao Cronos, a variante sedã do Argo. Mas a Fiat garante que produzirá o Grand Siena Attractive 1.0 até 2019.

Fiat Weekend
No mercado há exatos 20 anos, a Weekend (lançada com o prenome Palio) até chegou à linha 2018 nas versões Attractive 1.4 e Adventure 1.8, mas veio perdendo espaço nos últimos anos por conta do projeto defasado e da chegada de novos modelos, principalmente dos SUVs compactos, que tomaram o espaço das peruas – soma-se a isso os preços nada convidativos ao consumidor.

Fiat Doblò

Já o Doblò sai de cena após 15 anos. O furgão, que ainda está na linha 2017, vinha sendo oferecido apenas nas versões Essence e Adventure, ambas com motorização 1.8. Atrasado duas gerações em relação do modelo europeu, o Doblò brasileiro perdeu apelo diante das novidades do mercado nos últimos anos. Os preços variando entre R$ 82 mil e R$ 90.900 também determinaram a aposentadoria do modelo.

Renault Fluence 

Confortável e bem equipado, o modelo nunca incomodou a concorrência no segmento de sedãs médios. Reconhecendo a supremacia da dupla japonesa Toyota Corolla e Honda Civic na categoria, a Renault deixa de importar o Fluence da Argentina – ainda sem um substituto à vista.

Chevrolet Captiva

Lançado em 2008, o SUV deu lugar ao moderno Equinox, feito sobre a plataforma do Cruze e equipado com um eficiente motor 2.0 turbo de 262 cv.

Citroën C4 Lounge Origine THP

A versão de entrada tinha preço atraente, mas ficava devendo os itens de conforto e conveniência da variante intermediária Tendance. Sem contar que quase ninguém compra sedã médio com câmbio manual hoje em dia no Brasil.

Chery Tiggo

O primeiro carro chinês a oferecer câmbio automático no Brasil deixou de ser importado do Uruguai para dar lugar à nova geração, que começou a ser feita em Jacareí (SP) para estrear em 2018.

Hyundai Tucson Embora ainda figure no site da Hyundai-CAOA e a fabricante insista que o modelo lançado em 2005 ainda é feito em Goiás, o SUV é figura rara nas concessionárias da marca. Pelo menos nas lojas consultadas pelo Carsale em São Paulo, os vendedores dizem que não recebem o Tucson há meses. O modelo, que já esteve entre os SUVs mais vendidos do país, atualmente ocupa a 15ª posição no ranking de vendas da categoria com menos de 500 unidades comercializadas por mês em 2017.

Hyundai i30 Líder do segmento em 2010, o i30 ajudou a alavancar a imagem da marca coreana no Brasil, apostando em visual atraente e bom custo-benefício. A segunda geração do hatch médio, no entanto, chegou ao país muito cara e não conseguiu repetir o sucesso do modelo anterior. Concessionárias consultadas pelo Carsale disseram  que a Hyundai-Caoa interrompeu as importações do modelo em 2016 e que não há previsão de trazê-lo de volta – nem mesmo a nova geração, lançada na Europa no ano passado. Além das vendas fracas, o mau momento do segmento de hatches médios no país não valem, por enquanto, algum investimento da empresa.

comentários

Outras Notícias

Veja também