Rio Branco, Acre,

mpcampanhacapa

Ministério Público adere à campanha internacional de combate à corrupção

mpcampanhacapacampanha

PUBLICIDADE

mpcampanhaO Ministério Público do Estado do Acre (MPAC) aderiu à campanha internacional de combate à corrupção, realizada pelo Ministério Público Federal (MPF) em parceria com a Associação Ibero-Americana de Ministérios Públicos (Aiamp). Nesta semana, o procurador-geral de Justiça do Acre, Oswaldo D’Albuquerque Lima Neto, assinou o protocolo de cooperação e participou da solenidade de lançamento, em Brasília (DF).

A campanha #CORRUPÇÃONÃO conta com adesão de vinte e um países, e tem a proposta de ampliar o debate sobre o combate à corrupção, além de conscientizar as pessoas sobre o papel do Ministério Público no enfrentamento a este tipo de crime.

A parceria foi firmada com MPs de todos os estados brasileiros, que estavam representados por seus procuradores-gerais, integrantes do Conselho Nacional de Procuradores-Gerais (CNPG). Estiveram presentes também, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot; e o ministro da Justiça José Eduardo Cardozo, entre outras autoridades.

“A campanha vem em um momento oportuno, tendo a adesão de vinte e um países, além dos MPs estaduais. O Ministério Público do Acre mantem a sua tradição de estar na vanguarda do interesse público e social, participando ativamente, não como mero coadjuvante, desse momento de grande enfrentamento ao maior câncer mundial, que é a corrupção”, comenta o procurador-geral de Justiça do Acre.

A campanha tem o público jovem como principal alvo da campanha, por ser o que está mais disposto a mudar.

Um hotsite (corrupcaonao.mpf.mp.br) oferece todas as informações e reúne todas as peças produzidas: vídeos e spots de rádio com duração de um minuto e de 30 segundos, mobiliários urbanos, cartazes e adesivos de veículos. Também já estão disponíveis, uma fanpage no Facebook, conta no Twitter e banners web.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste portal. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Comentários

comentários


Recomendado para você

Últimas Notícias

Scroll Up