Rio Branco, Acre,


Professora Mariluce Bittar é homenageada com título de doutora “honoris causa”, em MS

Um dos momentos mais emocionantes foi quando o fotógrafo André Bittar recebeu o título honorífico em nome de sua mãe

Familiares de Mariluce participam da homenagem
Familiares de Mariluce participam da homenagem

A professora Mariluce Bittar, que faleceu aos 54 anos de idade no ano passado, vítima de um câncer no cérebro, foi homenageada no auditório da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB), em Campo Grande (MS), com o título de doutora honoris causa. Mariluce é irmã do ex-deputado federal Márcio Bittar (PSDB), que disputou o segundo turno das eleições para o governo do Acre no ano passado

Mariluce faleceu em 2014
Mariluce faleceu em 2014

Durante o tempo em que morou no Acre, Mariluce Bittar estudou em uma das escolas mais tradicionais de Rio Branco, o Colégio Acreano. Alguns anos depois se mudou para Campo Grande, onde viveu até o dia de sua morte, em 18 de fevereiro de 2014.

PUBLICIDADE

Conhecida por priorizar sempre o compromisso com as causas educacionais, especialmente com grupos historicamente excluídos, Mariluce Bittar dizia que lutava por um mundo onde coubesse ‘todos os mundos’.

Na UCDB, onde atuava no mestrado e doutorado em Educação, ela desenvolvia pesquisas ligadas às políticas públicas.

Em um artigo publicado recentemente no jornal “O Estado do Mato Grosso”, a irmã de Mariluce, Marisa Bittar, que também é professora-doutora da Universidade de São Carlos, em São Paulo, falou da brilhante trajetória da homenageada.

“Em tempos de competitividade no meio acadêmico, Mariluce permaneceu fiel aos seus princípios baseados na solidariedade, tomando partido no debate público, jamais se omitindo diante de injustiças, sempre vinculando sua atuação profissional às causas sociais”, escreveu.

Leia artigo completo aqui

Filhos de Mariluce se emocionam durante a homenagem
Filhos de Mariluce se emocionam durante a homenagem

Emoção

Um dos momentos mais emocionantes da solenidade, realizada no auditório da UCDB, foi quando o fotógrafo André Bittar, filho de Mariluce, recebeu o título acadêmico em nome de sua mãe.

Ao lado da irmã, e com a voz embargada, André falou do orgulho de ser filho de alguém que soube ser amiga e mãe, “e que também sempre queria saber e estudar mais, dedicando sua vida principalmente a grupos excluídos da sociedade”.

Marcio Bittar também acompanhou a cerimônia ao lado da esposa e filho
Marcio Bittar também acompanhou a cerimônia ao lado da esposa e filho

O ex-deputado Marcio Bittar, atual presidente do Instituto Teotônio Vilela, grupo de formação política do PSDB, participou da cerimônia junto com a esposa, Marcia e o filho João Paulo. A matriarca da família, dona Manif Bittar, também esteve presente, acompanhada das filhas Marisa, Marilena e Maura, de netos, além de outros familiares.

“Era a pessoa mais doce da família. Nenhuma atividade tirava dela o gosto de reunir os parentes e amigos em almoços, sempre com muita atenção e carinho. Amava intensamente nossos pais, seus filhos e irmãos e a atividade educadora. Esta foi a terceira homenagem que ela recebeu, pois já havia sido homenageada com o nome da primeira escola de assistência social do Brasil, e também quando seu nome foi dado à biblioteca recém inaugurada da Universidade Estadual do Mato Grosso do Sul. Nosso orgulho, por todo este reconhecimento, só não é maior que a nossa saudade”, concluiu Marcio Bittar.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste portal. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Comentários

comentários


Recomendado para você

Últimas Notícias

Scroll Up