Rio Branco, Acre,


Concursados exigem contratação efetiva e criticam governo por nomeação de provisórios

"Nós que fizemos concurso e fomos aprovados ficamos desempregados enquanto os outros, provisórios e da empresa Pró-Saúde estão ocupando nossas vagas", disse Wladmir Silva

Concursado cobra contratação efetiva
Concursado cobra contratação efetiva

Uma comissão de aprovados nos últimos concursos da Secretaria de Saúde do Acre (Sesacre) para provimento de vagas em diferentes setores foi recebida na manhã de terça-feira (15) por deputados na Assembleia Legislativa, incluindo membros da Comissão de Saúde, quando pediram mediação dos parlamentares junto ao governo do Acre para que sejam contratados.

Os concursados afirmam que mesmo tendo cumprido todos os pré-requisitos necessários para a contratação estão sendo preteridos por conta dos servidores provisórios com contratos. “Nós que fizemos concurso e fomos aprovados ficamos desempregados enquanto os outros, provisórios e da empresa Pró-Saúde estão ocupando nossas vagas e recebendo inclusive horas extras por isso”, afirmou Wladmir Silva.

PUBLICIDADE

Os jovens aprovados nos últimos concursos afirmaram temer que o prazo para chamamento expire sem que sejam convocados. Eles denunciam ainda que há comprovada necessidade de mão de obra para as quais estão habilitados, mas que não há vontade política do governo estadual em contratá-los.

“Há uma precarização do serviço, gente com carga horária pesada, e que possui contratos provisórios”, denuncia Charlton Lopes, que foi aprovado para a vaga de motorista de ambulância e que há praticamente dois anos aguarda para ser convocado.

O presidente da Comissão de Sáude, Raimundinho da Saúde,  afirmou que solicitará uma reunião com representantes da Secretaria de Gestão Administrativa e Procuradoria Geral do Estado para obter maiores informações sobre o caso.

Os deputados Luiz Gonzaga (PSDB) e Eliane Sinhasique (PMDB) afirmaram que solicitarão da Secretaria de Saúde o contrato de gestão do Estado com a Pró-Saúde para entender como funciona as contratações provisórias e o pagamento de horas extras.

Os deputados também solicitarão a escala de trabalho do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). ” Dizer que um motorista de ambulância consegue trabalhar 70 horas por semana é algo impossível de se acreditar”, diz o deputado tucano.

Concursados se reúnem com deputados estaduais/Foto: Charlton Lopes/ContilNet
Concursados se reúnem com deputados estaduais/Foto: ContilNet

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste portal. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Comentários

comentários


Recomendado para você

Últimas Notícias

Scroll Up