Rio Branco, Acre,


Divulgadores devem procurar justiça para receber dinheiro investido na Telexfree

"Condenação serve para as pessoas, como lembrança, para que não joguem dinheiro fora nunca mais”, alerta promotora

Juíza Thaís Khalil
Juíza Thaís Khalil

Após anos de investigação, a empresa Ympactus, que representa a Telexfree no Brasil, foi condenada pela juíza Thaís Khalil, da 2ª Vara da Comarca de Rio Branco, ao pagamento de R$ 3 milhões por danos morais coletivos e considerada culpada de praticar pirâmide financeira.

A empresa ficou obrigada a devolver aos divulgadores os valores que foram investidos por eles, sendo abatido qualquer dinheiro recebido como lucro. Para isso, cada divulgador deve procurar o Poder Judiciário de sua cidade para reaver esse dinheiro.

PUBLICIDADE

A sentença anula todos os contratos firmados entre a empresa e os divulgadores e, consequentemente, condena a Telexfree a devolver aos associados e divulgadores os valores pagos à empresa como caução e para compra de kits.

Os divulgadores devem devolver à empresa as contas que receberam ao comprar os kits; eles não receberão de volta o dinheiro referente a contas que foram ativadas. Do valor total a ser recebido, devem ser abatidos valores recebidos pelo divulgador como comissão de venda ou bonificação, inclusive por postagens de anúncios.

De acordo com a promotora de Justiça de Defesa do Consumidor, Alessandra Marques, o caso Telexfree serve a dois fins. “Agora que temos a sentença que dissolveu a empresa e anulou seus negócios ilícitos, abrimos um precedente para os casos futuros, o que interessa a todos que lidam com o Direito; e serve também para as pessoas, como lembrança, para que não joguem dinheiro fora nunca mais”, alerta.

Com informações do MPE

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste portal. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Comentários

comentários


Recomendado para você

Últimas Notícias

Scroll Up