Rio Branco, Acre,


Durante protesto, caçambeiros impedem transporte de brita e recuperação da BR fica comprometida

“Aqui não passa brita para as obras da BR-364”, diz presidente do Sintabra

Caçambeiros fecham o tráfego de caminhão na BR-364/Foto: ContilNet
Caçambeiros fecham o tráfego de caminhão na BR-364/Foto: ContilNet

Depois de fechar parcialmente a BR-364 nas primeiras horas da manhã desta segunda-feira (14), caçambeiros estão impedindo que caminhões vindos de outros estados transportem brita para a reconstrução e recuperação da rodovia. A obstrução, que se concentra no trevo do bairro Custódio Freire, pode atrasar ainda mais o calendário das obras.

A revolta dos trabalhadores é por causa da empresa acreana Pedra Norte, pertencente a Jarbas Soster, que estaria ganhando com a venda e sublocação do transporte do insumo e, segundo denúncia, está pagando a metade do preço estabelecido do contrato.

PUBLICIDADE

“Esse cidadão, que também fornece combustível para as obras, está prejudicando centenas de pais de família”, denunciou o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários de Bens Autônomos do Acre (Sintabra), Júlio Farias.

Diretor do Deracre conversa com manifestantes
Diretor do Deracre conversa com manifestantes

Presente ao local, o diretor-geral do Departamento de Estradas e Rodagens do Acre (Dereacre), Cristóvan Moura, disse que a autarquia está empenhada na mediação do conflito, afirmando, inclusive, que amanhã haverá uma reunião com presença do governador Tião Viana. “Tenho certeza de que haverá um acordo entre as partes”, vislumbra Moura.

O policial rodoviário federal, Anderson Costa, disse que a presença da guarnição era para garantir a segurança dos manifestantes e usuários da rodovia. “Vamos também garantir o inalienável direito constitucional de ir e vir”, assegurou.

A reportagem tentou contato com o empresário Jarbas Soster através do número 99xxxx38, mas não obteve sucesso.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste portal. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Comentários

comentários


Recomendado para você

Últimas Notícias

Scroll Up