Ney: “Entendi que mesmo em meio a diferenças políticas e ideológicas, o respeito deve se sobrepor”


Sobre da boa relação que estabeleceu com deputados da situação e oposição, o presidente da Aleac afirma que o respeito foi a base da convivência

Gina Menezes, da ContilNet

Aos 33 anos, o deputado Ney Amorim (PT) iniciou o mandato como presidente da Assembleia Legislativa do Acre (Aleac), conquistando dois feitos, o de ser o mais jovem a presidir a casa de leis e o único petista da Frente Popular do Acre a assumir o parlamento.

Ousado, Ney pretende conquistar mais um desafio: resgatar a credibilidade da Aleac, em uma época onde a política anda desacreditada a nível nacional.

NEY AMORIM

Ney Amorim: “Eu vejo 2016 com muita esperança”

 

Disposto a abrir mão do recesso parlamentar para ficar no Acre, planejando o próximo ano de trabalho, Ney exibe uma imagem que alterna entre compenetrado e determinado, todavia, sem abrir mão da sua marca peculiar : o sorriso espontâneo e a maneira otimista de ver a vida.

“Temos que trabalhar muito para conquistar nossas metas, mas não podemos perder nossa essência, o jeito de vermos a vida. Eu tento o tempo todo fazer uma nova política e fazer com que as pessoas recuperem a fé na atividade política- partidária.”, disse.

As pessoas, até mesmo aquelas que andam descrentes, desejam mudanças. O cidadão anda cada vez mais participativo e por isso eu sei que nossa parte como políticos é resgatar a boa forma de fazer política.

Tendo sido eleito presidente da Aleac, em um ano onde os quadros parlamentares foram renovados em mais de 50%, deixando de fora do grupo de eleitos alguns nomes tradicionais da política estadual, Ney afirma acreditar que a população deseja mudanças intensas na política.

“As pessoas, até mesmo aquelas que andam descrentes, desejam mudanças. O cidadão anda cada vez mais participativo e por isso eu sei que nossa parte como políticos é resgatar a boa forma de fazer política”, frisou.

Mesmo 2015 tendo sido considerado um ano de crise, Ney afirma que foi bom e produtivo. Ele diz que deu certa a tentativa de aproximar cada vez mais o parlamento da população, especificamente àquela que mora no interior.

Temos que trabalhar muito para conquistar nossas metas, mas não podemos perder nossa essência, o jeito de vermos a vida.

“Foi um ano muito produtivo, onde foram realizados dezenas de visitas das comissões parlamentares até o interior do Estado. Também resgatamos os trabalhos nas comissões e procuramos aperfeiçoar nosso trabalho de forma geral. Foram mais de 130 reuniões das principais comissões da casa e não deixamos acumular trabalho, prova disso é que tivemos apenas 12 matérias para serem analisadas no final do legislativo e não mais 40 ou 50 como já aconteceram outros anos”, disse o parlamentar.

Ney Amorim declara que irá trabalhar ainda mais pelo fortalecimento do legislativo e da harmonia com os demais poderes. “Pode parecer o básico e apenas o que já está na lei, mas iremos trabalhar cada vez mais para que tenhamos harmonia com os outros poderes, resguardando nossa independência. Fomos independentes e respeitados pelo executivo e judiciário, e isso se deve a postura que adotamos”, acrescentou.

Todos sabem que eu tenho lado, que eu faço parte da Frente Popular e que apoio o governador Tião Viana, mas como presidente da Assembleia eu ouvi a todos, mesmo a oposição.Entendi que mesmo em meio a diferenças políticas e ideológicas, o respeito deveria se sobrepor.

Sobre a boa relação que estabeleceu com deputados da situação e oposição, Ney afirma que o respeito foi a base da convivência. “Eu sempre respeitei a todos e fui respeitado. Eu entendi que mesmo em meio a diferenças políticas e ideológicas, o respeito deveria se sobrepor e foi isso que aconteceu. Todos sabem que eu tenho lado, que eu faço parte da Frente Popular e que apoio o governador Tião Viana, mas como presidente da Assembleia eu ouvi a todos, mesmo a oposição, e respeitamos o tempo regimental de cada um”, finalizou.

A respeito de 2016, Amorim diz estar otimista e declara que será um ano de trabalho dobrado. “Eu vejo 2016 com muita esperança e mesmo que venha a ser um ano de crise, eu continuarei crendo que com trabalho e dedicação, iremos vencer”, destacou.

comentários

Outras Notícias

Veja Também