Procurador denunciado foi suspenso em 2009 por destruir florestas


Williams João Silva também fez uso de papel timbrado do Ministério Público do Acre para emitir recibos de pagamentos de roçadas e derrubadas

Redação ContilNet

Em outubro de 2009, o jornal O Globo havia denunciado o procurador Willians João Silva por destruir e danificar floresta primária e espécie de flora nativa protegida por lei, em suas terras, localizada no município de Sena Madureira.
Veja a matéria da época:

Procurador do MP suspenso por destruir floresta

Do Globo Online

procurador

Wilians foi suspenso pelo CNMP em 2009

O Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) suspendeu, por 45 dias, o procurador de Justiça do Ministério Público do Acre Williams João Silva, acusado de destruir e danificar floresta primária e espécies de flora nativa protegidas por lei, em 2003 e 2004.

O Conselho entendeu que o procurador teve conduta incompatível com o exercício do cargo e descumpriu dever funcional.

O procurador de Justiça, que é dono de uma fazenda no município de Sena Madureira, no Acre, e teria destruido, sem autorização dos órgãos de proteção ambiental, castanheiras e seringueiras protegidas por lei, localizadas em área vizinha pertencente a outro proprietário, e também teria desmatado floresta de preservação permanente, às margens do igarapé Iquiri.

Segundo relatório do CNMP, Williams João Silva também fez uso de papel timbrado do Ministério Público do Acre para emitir recibos de pagamentos de roçadas e derrubadas de matas em suas propriedades.

Nos 45 dias em que ficará suspenso, o procurador não terá os direitos e vantagens decorrentes do exercício do cargo.

A notícias também foi publicada pelo Consultor Jurídico, clique AQUI para ler

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste portal. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Comentários

comentários



Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste portal. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Outras Notícias

Veja Também