25.3 C
Rio Branco
23 janeiro 2022 10:30 am

‘Impeachment foi desencadeado por vingança de Cunha’, diz Cardozo

POR

Última atualização em 10/02/2016 09:58

JoEduardoCardoso
Para o ministro, Cunha queria que governo pressionasse o Conselho de Ética

Com a retomada da discussão do impeachment na Câmara, o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, acusa o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), de ter agido no processo por vingança. E insiste: não há fato a ser imputado contra a presidente Dilma Rousseff. Também defende o ex-presidente Lula que, segundo ele, é uma vítima dos fatos apurados pela Operação Zelotes. E diz que Lula não é investigado na Operação Lava-Jato, análise feita antes que o juiz Sérgio Moro autorizasse a abertura de um inquérito só sobre o sítio de Atibaia, frequentado pelo ex-presidente.

Há duas operações, Lava-Jato e Zelotes, que parecem caminhar para o objetivo de chegar a Lula. Como vê essa atuação?

Discordo da premissa. O objetivo das operações não é chegar a alguém, é apurar fatos. Não vejo nenhuma comunicação entre as duas operações, lastreadas em situações distintas. No que diz respeito ao ex-presidente Lula, o juiz (Sérgio) Moro já disse que o presidente Lula não é investigado na Lava-Jato. E não me cabe fazer juízo de valor sobre investigações. No caso da Zelotes, fui informado que o ex-presidente não depôs como investigado. O próprio ofício do delegado divulgado pela imprensa diz: (lê trecho do ofício): “Se houve servidores públicos que foram corrompidos e estariam associados a essa organização criminosa ou se estaria vendendo fumaça, vitimando-os e praticando tráfico de influência com relação aos mesmos”. Ou seja, ou participam ou será que são vítimas? O ofício poderia permitir uma outra ilação: presidente pode ser vítima.

LEIA A REPORTAGEM COMPLETA

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
É permitida sua reprodução total ou parcial desde que seja citada a fonte. Opiniões emitidas em artigos e comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.