20.3 C
Rio Branco
25 julho, 2021 5:27 am

Mulher acusa diretor do ISE de apontar arma em direção do marido e filha recém-nascida

POR Redação contilnet

Em um vídeo publicado no Facebook no último sábado (26), uma mulher acusa o diretor do Instituto Sócio Educativo (ISE), Rafael Almeida, de ter apontado uma arma para seu marido durante uma discussão de trânsito no bairro Tangará.

A manicure Luna Saluana, autora do vídeo, conta que retornava da maternidade com o marido, Thiago Andrade, em um veículo, devagar por que havia feito cesárea, quando o homem irritado, pois queria ultrapassagem, começou a buzinar.

Deitada em uma cama, amamentando o filho recém-nascido, Luna conta no vídeo que chegou a fazer sinais para que o homem soubesse que ela havia saído da maternidade, e por isso trafegavam devagar com o marido, mas mesmo assim ela conta que ele tirou uma arma e apontou para Thiago Andrade e em direção dela e a criança, perguntando se ele queria levar um tiro.

“Ai você me diz, como uma pessoa candidato a deputado e agente sócio educativo pode andar com uma arma no carro? Agora como pode um ser humano saber que tem uma criança recém nascida dentro de um carro e simplesmente se achar no direito de apontar uma arma! Que tipo de cidadão é esse?”, disse Luna no vídeo.

luaneesposa
Luna Saluana, o marido Tiago Andrade, logo após o nascimento da filha/Foto: Arquivo pessoal

A Polícia Militar foi acionada e, no estacionamento de um supermercado, o homem foi identificado como Rafael Almeida, diretor do Instituto Sócio Educativo (ISE) em Rio Branco. Uma busca foi feita no veículo e a arma que a jovem o acusava de ter não foi encontrada.

ise
Diretor do ISE, Rafael Almeida/Foto: Arquivo pessoal

A família registrou um Boletim de Ocorrência na Delegacia de Flagrantes (DEFLA) em desfavor de Rafael pelo crime de ameaça. De acordo com Rafael, ele está sendo vítima de calúnia e difamação, pois nunca possuiu nenhum tipo de armamento e pretende acionar a justiça.

Outro lado

“Realmente houve uma discussão de trânsito, mas eu nem cheguei a usar a buzina; pelo contrário, ele buzinou e veio me afrontar quando parei na rotatória. Ele estava na faixa da esquerda andando em baixa velocidade, com uma criança recém-nascida e a mulher sem cinto de segurança, eu só o chamei de imprudente. A polícia veio e revistou o meu carro, não foi encontrado nenhuma arma de fogo”, disse Rafael.

O diretor disse ainda que o caso causou constrangimento dentro da sua casa após a denunciante dizer que ele estava com uma mulher dentro do carro. Ele conta que já fez um boletim de ocorrência e afirma que entrará com uma ação contra a manicure.

Os artigos são de responsabilidade exclusiva dos autores. É permitida sua reprodução, total ou parcial desde que seja citada a fonte.