Rio Branco, Acre,


Com cópias de depoimentos, Rocha denunciará esquema de vendas de casas populares à PGR

O parlamentar diz confiar no trabalho da Polícia Civil, mas justifica que levar processo até a esfera da Polícia Federal seria uma maneira de dar mais isenção à investigação contra as fraudes

O presidente da juventude do PSDB regional e um dos líderes do movimento “Vem Pra Rua” no Acre, Renê Fontes, publicou na tarde desta sexta-feira (3) um vídeo em seu perfil no Facebook em que entrega nas mãos do deputado federal Wherles Rocha (PSDB) a cópias de depoimentos de envolvidos na Operação Lares.

Essa parte contém trechos de conversas e ligações transcritas entre os acusados do esquema, recibos de pagamento, listas de nomes que seriam agraciados com casas de maneira ilícita, além da carta de confissão da ex-servidora Rossandra Melo, que citou os nomes do governador Tião Viana e a chefe da Casa Civil, Márcia regina, no esquema.

PUBLICIDADE

Com os documentos em mãos, o deputado encaminhará a denúncia à Procuradoria Geral da República (PGR) para que o órgão acione o governo do estado sobre a acusação de participação no esquema da entrega de casas de forma ilegal.

“Estamos entregando a denúncia de corrupção ao deputado Major Rocha, ‘o bandido do Acre’ [referência a declarações de Lula contra o deputado], para que o mesmo acione junto à PGR o escândalo de corrupção na SEHAB. O governo do Estado (PT), com prefeitura Municipal (PT), iniciaram um esquema de vendas de casas habitacionais em 2014, financiadas pelo governo federal. O governo recebia dinheiro pra campanha e entregava casas para os doadores se recapitalizarem”, postou Renê.

LEIA TAMBÉM:

Rossandra: esquema fraudulento de casas envolve Tião Viana, Márcia Regina e fazenda de R$ 2 milhões

Triângulo amoroso pode ter causado queda do esquema de vendas de casas

No vídeo publicado, Rocha lamenta que um programa federal criado com a intenção de ajudar as pessoas que necessitam de um teto tenha sido usado para benefício pessoal dos envolvidos no esquema.

O parlamentar diz confiar no trabalho da Polícia Civil, mas justifica que levar processo até a esfera da Polícia Federal seria uma maneira de dar mais isenção à investigação contra as fraudes, que abarcariam também recursos provenientes do governo federal.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste portal. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Comentários

comentários


Recomendado para você

Últimas Notícias

Scroll Up