Rio Branco, Acre,


Gina: Sindicato das Empresas de Terceirização nega que grupo atue em forma de cartel

Seac/AC

O Sindicato das Empresas de Terceirização do Estado do Acre (Seac/AC) enviou nota à editoria desta publicação rebatendo informações asseguradas em off, conforme permite a lei. O sindicato nega que empresas atuem em forma de cartel e que tenham buscado beneficiar apenas um grupinho.

PUBLICIDADE

Esclarecimento

A nota diz que o sindicato em questão – que conta com com 35 empresas filiadas, mais 21 empresas signatárias, atuantes, todas prestando serviços em órgãos públicos municipais, estaduais e federais – é totalmente contra a formação de cartel e qualquer prática ilegal.

Simples assim

Eles ressaltam ainda que o decreto que regulamenta a terceirização, homologada pelo governador Tião Viana, foi aprovado em reunião por todas as empresas filiadas e signatárias para o início das discussões, baseando-se em leis já existentes. O Seac/AC não criou nada, apenas colaborou para a formação do decreto com as leis e acórdãos já existentes.

O sigilo fica mantido

A nota enviada pelo sindicato veio cheia questionamentos com relação à declaração ouvida em off. Que fique claro que a declaração em off se configura extremamente legal e que esta coluna preza pela inviolabilidade da fonte, independente das retaliações que possam haver contra a jornalista que assina a publicação.

Respeito à fonte

A coluna garantiu o direito de contraditório como assegura a lei, mas se nega a violar a fonte, e não considera válida qualquer tentativa de desqualificá-la.

Osmir Lima no PSD

O ex-deputado-federal Osmir Lima, com a experiência de ter sido deputado constituinte e testemunhado boa parte da história política acreana, se filiou ao PSD no último sábado (4).

Competente

Osmir chegou no bloco da oposição cheio de determinação e vontade de derrotar o PT. Se for bem aproveitado, poderá ajudar bastante o grupo.

Brigado

Osmir deixou a Frente Popular do Acre (FPA) brigado com as duas pessoas que decidem pelo grupo inteiro, Carioca e Tião Viana, ambos do PT.

Sem chances

Ao brigar com os dois conselheiros-chefes da Frente Popular do Acre, Osmir teve as portas fechadas de vez e jogou no lixo qualquer chance de voltar ao grupo político.

Frente Popular do Acre

A Frente Popular tem sido tornado um conglomerado de partidos onde apenas duas pessoas mandam: Tião Viana e Carioca. A unidade dentro da coligação tem sido mantida à custa de loteamento de cargos na máquina pública.

Absurdo

Absurdamente inconcebível quando a Frente Popular aponta o dedo para a oposição os chamando de desunidos. Ora essa, não há maior desunião e brigas internas do que dentro da própria FPA, mas lá os interesse em cargos mantêm todos de boca fechada.

Lamentável

Lamentável que tanto oposição quanto Frente Popular caduquem e não permitam que novas lideranças nasçam. O PT de Tião Viana e o PMDB de Flaviano Melo morrem de velhice e inanição, mas não permitem surgimento de novos quadros.

Siameses

PMDB e PT são irmãos siameses separados na mesa de parto, mas que insistem em manter o mesmo modus operandi durante toda a vida.

Nojo

Lamentável ver pré-candidatos a vereadores usando os sem-teto que estão em frente à Assembleia Legislativa do Acre (Aleac) como massa de manobra. Chega a dar nojo.

Triste

Obviamente que o governo precisa ser responsabilizado pelo fato de a população carente ter ficado sem casas enquanto dezenas de unidades foram vendidas ilegalmente, mas se torna igualmente vergonhoso ver pré-candidatos usar a necessidade alheia como palanque eleitoral. Um pouco de humanidade cairia muito bem.

Bom dia a todos

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste portal. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Comentários

comentários


Recomendado para você

Últimas Notícias

Scroll Up