Após intervenção federal no RJ, jornalista questiona: “Acreanos não merecem a mesma atenção?”


"Não há planejamento. Não há coesão entre os militares. Não há união política mesmo entre os porta-vozes brasilienses", diz pernambucano

TON LINDOSO, DA CONTILNET

Um dos mais respeitados jornalistas do Nordeste soltou o verbo em seu perfil oficial no Facebook sobre a intervenção federal no Rio de Janeiro. Luis Costa Pinto, que já teve passagens por veículos como O Globo e Veja, afirma que a intervenção “já deu errado” e cita o Acre em seu discurso.

Para ele, Rio de Janeiro não é melhor que outros estados, como a terra de Chico Mendes. E deixa a reflexão se a situação do Rio é realmente a pior do país.

“O Rio é melhor ou pior que o Brasil? A situação no Rio é pior que a do Ceará ? Do Rio Grande do Norte? Do Acre? De Goiás ? Cearenses, goianos, potiguares, acreanos não merecem o mesmo olhar federal e militar para suas mazelas de segurança ? O Exército tem como atendê-los?”

Luís Antônio Aguiar da Costa Pinto, conhecido como Lula, é um jornalista brasileiro. Atualmente, ele se dedica, em tempo integral, à consultoria Ideias, Fatos e Texto atendendo a clientes como consultor-sênior.

Decreto de Temer chancelou intervenção no RJ

Veja a publicação na íntegra:

Não há planejamento. Não há coesão entre os militares. Não há união política mesmo entre os porta-vozes brasilienses. Não há consenso, muito longe disso, entre especialistas ouvidos até pela mídia amiga. Luís Eduardo Magalhães, liderança liberal morta há 20 anos, traduzia assim esses momentos: “não tem chance de dar certo”. Não, não há equação possível que me faça antever sucesso nessa mal ajambrada intervenção no Rio de Janeiro.

Eis os motivos, além dos acima expostos:

1. As rotas de fuga dos bandidos estão mapeadas e fechadas? Não. E não estão porque o Exército não se preparou para intervir. Vai chegar aos poucos, como se isso fosse possível.

2. O povo honesto e trabalhador que mora nos morros do Rio, espoliado e humilhado por anos e anos de humilhações e saques, suportará ações arrogantes e intempestivas contra si e os seus? Ficará calado ao ser vítima de baculejos vis e arrogantes? Ou vai reagir? E quando houver reações pontuais e pessoais a isso, como se portarão os militares despreparados para tais atos? O efeito disso será compreendido como dano colateral em meio a uma guerra? Como a mídia favorável à intervenção vai noticiar isso? A 1a vez é teste tenso. A 2a vez é causadora de irritação. Depois da 3a vez, camaradas, o morro desce.

3. O Rio é melhor ou pior que o Brasil? A situação no Rio é pior que a do Ceará ? Do Rio Grande do Norte? Do Acre? De Goiás ? Cearenses, goianos, potiguares, acreanos não merecem o mesmo olhar federal e militar para suas mazelas de segurança ? O Exército tem como atendê-los?

4. Os militares, derrotados pela falta de resultados no Rio, receberão de cabeça baixa a desmoralização do mito de suas forças ? Ou terão de encarar os seus, os próximos, como a face da derrota ante a decepção?

Camaradas, não tem chance de dar certo.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste portal. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Comentários

comentários



Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste portal. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Outras Notícias

Veja Também