FIEAC e instituições percorrem BR-364 em segunda visita técnica à rodovia


Comitiva inspecionou o trabalho de recuperação da estrada e também promoveu encontros com empresários e lideranças de Sena Madureira, Feijó, Tarauacá e Cruzeiro do Sul

ASCOM FIEAC

Representantes de mais de 25 instituições, entidades e empresas estiveram durante dois dias percorrendo a BR-364, no trecho entre Rio Branco e Cruzeiro do Sul, para verificar as atuais condições da rodovia. Liderada pela Federação das Indústrias do Acre (FIEAC), no âmbito do projeto Arco do Desenvolvimento, a visita técnica foi realizada na última semana, nos dias 8 e 9. Foi a segunda vez que a comitiva inspecionou de perto o trabalho de recuperação da estrada, cuja as intervenções são de responsabilidade do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit).

Assim como na primeira visita técnica (que ocorreu em setembro de 2017), as instituições promoveram reuniões com empresários e lideranças em Sena Madureira, Feijó, Tarauacá e Cruzeiro do Sul. Além das obras da BR, os encontros colocaram em discussão dificuldades, desafios e quais caminhos os empreendedores desses municípios podem seguir para terem um ambiente mais favorável para seus negócios, além de propostas para desenvolver essas cidades. Em Cruzeiro do Sul, houve inclusive uma palestra sobre a modernização da legislação trabalhista, proferida pelo conselheiro do Conselho Regional de Contabilidade (CRC), Mateus Calegari.

 

Comitiva inspecionou o trabalho de recuperação da estrada e também promoveu encontros com empresários e lideranças de Sena Madureira, Feijó, Tarauacá e Cruzeiro do Sul/Foto: Ascom Fieac

Segundo o presidente da FIEAC, José Adriano Ribeiro, vistoriar cada trecho da BR-364 é muito importante para que todos possam vivenciar a realidade de quem reside ao longo da estrada ou trafega por ela frequentemente. “Essa BR não pertence ou interessa somente ao povo de Sena Madureira, Feijó, Tarauacá e Cruzeiro do Sul. Todas essas instituições estão mobilizadas para dizer que a população dessas cidades não está sozinha. Estamos juntos nessa luta tanto para ajudar o Dnit no que estiver ao nosso alcance como também em outras questões relevantes para esses municípios”, salientou.

A intenção, de acordo com o empresário, é que essas visitas técnicas ocorram duas vezes ao ano, sendo uma no período chuvoso e outra durante a estiagem. “Queremos manter um diálogo totalmente imparcial com os munícipes e lideranças. Trata-se de um movimento apolítico que tem cumprido até aqui o seu papel, que é de abrir a discussão sobre essa demanda essencial para o Estado. Precisamos estar vigilantes e por isso saímos de nossos gabinetes para cobrar, com muita responsabilidade, boas condições para BR-364. Acredito muito nesse movimento”, frisou o presidente da FIEAC.

Thiago Caetano, superintendente do Dnit no Acre, fez parte da comitiva que vistoriou a BR-364. Além de responder os questionamentos sobre as obras em cada uma das cidades em que ocorreram reuniões, o engenheiro também detalhou o cronograma e os investimentos previstos para intervenções na rodovia neste ano.

“É de grande importância darmos transparência às ações, prestarmos um esclarecimento e contas à sociedade do trabalho que vem sendo feito. E quando envolve tantas instituições, como é o caso dessa comitiva, dá maior credibilidade ao movimento, às ações, e mostra a importância que a BR representa para o Acre, sendo considerada a espinha dorsal do nosso Estado”, pontuou.

Os visitantes irão elaborar um relatório técnico com os pontos mais importantes verificados durante o percurso/Foto: Ascom Fieac

O engenheiro detalha que, para este ano, o Dnit prevê uma grande ação no trecho entre Feijó e Cruzeiro do Sul. “Nossa meta é deixar esse trecho todo restaurado. Além disso, iremos atacar e restaurar os pontos mais críticos entre Rio Branco e Feijó, pois pretendemos chegar ao fim de 2018 com nossas rodovias sem buraco. Estamos com previsão de licitar a reconstrução da BR-364, a restauração dessa rodovia na divisa de Rondônia até Sena Madureira, restauração da BR-17 entre a divisa do Amazonas e o Peru, e outras obras como a ponte em Rodrigues Alves, contorno de Brasileia e ainda um viaduto em Rio Branco. São obras estruturantes e de grande porte que, somadas, dão mais de R$ 1,5 bilhão”, ressaltou o superintendente do Dnit.

Além da FIEAC, a comitiva é apoiada pela Fecomércio, Sebrae, Federacre, Faeac, Dnit, Sedens, Crea-AC, Setacre, Deracre, Acisa, associações comerciais de Sena Madureira, Feijó, Tarauacá e do Alto Juruá, Sincepav, Sinduscon, Sindmóveis, Sindigraf, Sindpan, Sindusmad, Ufac, Faao, Sintraterra, 7º BEC, STICEEA, Creci-AC, CRC-AC, Imac, TCE-AC, Banco da Amazônia, CRA, Sescap, OAB-AC, Roda Viva Transportes, Arras Imóveis e Paris Dakar. O Programa de Desenvolvimento Associativo (PDA) da CNI também está integrado ao projeto com o propósito de fortalecer o associativismo nos sindicatos industriais.

Os representantes das instituições que estiveram na visita à BR-364 irão elaborar um relatório técnico com os pontos mais importantes verificados durante o percurso. O documento deverá ser encaminhado ao Dnit, associações comerciais, governos municipais e do Estado e aos parlamentares acreanos.

comentários

Outras Notícias

Veja Também