Nota que informa anúncio do vice de Gladson não cita Major Rocha


Suspense sobre a escolha só terminará na quinta-feira, às 16 horas, em evento programado pela oposição

Foto capa ARCHIBALDO ANTUNES, DA CONTILNET

Tarda, mas não falha 

Demorou, mas saiu a sentença que determina a indisponibilidade e o bloqueio judicial dos bens do prefeito petista Bira Vasconcelos, de Xapuri. O pedido partiu do Ministério Público do Acre, e foi acatado pelo juiz Luís Gustavo Alcalde Pinto.

Improbidade

Bira é acusado de improbidade administrativa, em uma ação extensiva à ex-secretária de Educação do município. Os fatos datam de 2010, quando o alcaide ocupou o cargo pela primeira vez.

À revelia da lei

Entre as denúncias, formuladas pelo promotor substituto Antonio Alceste Callil de Castro, consta a inexistência de licitação na contratação de serviços terceirizados, no valor de R$ 359,7 mil, além de aquisição de material de consumo, por R$ 120,6 mil. Total da barbeiragem: R$ 480.423,01.

Papo furado

Eleito prefeito do município em 2008, Bira Vasconcelos teve sua administração desaprovada pela população, que optou por eleger, em 2012, Marcinho Miranda, do PSDB. Com a gestão do tucano também rejeitada pelos xapurienses, o petista retornou ao cargo, servindo ao discurso petista de que os adversários não sabem governar.

Fala sério!

Em termos gerais, o Brasil está até a tampa de gestores corruptos, inaptos, descompromissados com o povo e ávidos para se apropriarem dos bens públicos. Mas apenas os companheiros insistem na crença de que se diferenciam pela ética.

Registro

Esta coluna felicita os procuradores de justiça do Ministério Público do Estado e os magistrados que fazem cumprir a lei em defesa de uma população cada vez mais marginalizada, refém da miséria e à mercê da violência.

O outro lado da moeda

Não obstante nosso entusiasmo com exemplos recorrentes que nos dão autoridades marcadas por sua atuação republicana, e pródigas em exemplos de pactuação com o bem comum, há casos que nos intrigam pela omissão. Vamos a eles. Antes, porém, uma referência a acontecimentos amplamente divulgados no dia de ontem.

Escândalo nacional

O ex-secretário de Administração Penitenciária na gestão do ex-governador Sérgio Cabral, o coronel César Rubens Monteiro de Carvalho, e o delegado Marcelo Martins, atual diretor-geral de Polícia Especializada, foram presos na manhã de ontem durante mais uma ação no âmbito da Operação Lava Jato no Rio de Janeiro.

O pão que o diabo amassou

O coronel e o delegado são acusados de integrar um esquema de superfaturamento e fraude no fornecimento de pães para os presos. Isso mesmo! Segundo auditoria feita pelo Tribunal de Contas do Estado, pagava-se duas vezes por cada pãozinho.

Matemática da malandragem

Estima-se que o esquema encabeçado pelas dupla citada aí acima tenha desviado R$ 73 milhões dos cofres públicos.

Pergunta que não quer calar

Pois bem. Caso o leitor tenha a pachorra de pesquisar no Google as recentes e antigas denúncias de supostos superfaturamentos cometidos na esfera estadual e no âmbito dos municípios acreanos, restará a seguinte indagação: por que cargas d’água alguns membros do Ministério Público do Acre não apuram as suspeições antes de remetê-las aos tribunais – a fim de que, uma vez confirmadas, aos responsáveis sejam imputadas as merecidas punições? Com a palavra, os excelentíssimos representantes do MPAC.

Capítulo final

O senador Gladson Cameli (Progressista) marcou para a esta quinta-feira (15) o anúncio do nome daquele que comporá com ele, na condição de vice, a chapa para o governo estadual.

Reflexões

Nunca antes na história política deste estado uma decisão causou tanta confusão, por no mínimo três motivos: 1º) a oposição segue a cultivar o malfadado hábito de não chegar ao consenso sobre determinados assuntos sobre os quais discordam por interesses divergentes; 2º) os fatos foram exageradamente anabolizados por parte da imprensa que atende aos propósitos do governo; e 3º) por óbvio, de todas as eleições disputadas nas duas últimas décadas contra a Frente Popular, nenhuma se afigurou tão promissora quanto à possibilidade de desapear os companheiros do poder.

Coletiva de imprensa

Segundo a nota enviada ontem às redações, o ato político que homologará o vice de Gladson está marcado para às 16 horas de amanhã, no Hotel Pinheiro, no centro de Rio Branco.

Mais suspense

E não passou despercebido ao colunista que o texto evitou mencionar o nome do definido por Gladson, em consenso com os demais dirigentes partidários de sua coligação.

Mas… é daí?

Dias atrás, em consulta ao presidente do Progressista no Acre, José Bestene, ele confirmou a escolha do deputado federal tucano Major Rocha.

No trecho

O diretor-presidente do Iteracre, Nil Figueiredo (à esquerda na foto), visitou nesta terça a Vila Jorge Kalume, cuja comunidade haverá de receber, até meados de dezembro, os tão cobiçados títulos definitivos de propriedade.

Jeito de ser

Sempre atencioso e acessível, Nil conversou com os moradores, aproveitando a visita ao local para vistoriar o trabalho de regularização fundiária promovido pelo instituto que preside. Estima-se que 200 famílias sessão contempladas com o documento.

comentários

Outras Notícias