Três fazendas acreanas são autuadas na nova “lista suja” de trabalho escravo do Ministério Público do Trabalho


As três empresas acreanas estão sendo autuadas por 31 trabalhadores que estão sendo submetidos a trabalhos análogos a escravidão

PÂMELA FREITAS, DA CONTILNET

O Ministério Público do Trabalho (MPT) atualizou nesta terça-feira, dia 10, após decisão judicial proferida pela 11ª Vara do Trabalho de Brasília, o Cadastro de Empregadores, mais conhecido como Lista Suja do Trabalho Escravo.

A lista nova traz um total de 166 nomes de pessoas físicas e jurídicas, entre eles, 34 são novos nomes. Entre as empresas, estão a Cone Brasil, que comercializou alimentos no Rock In Rio, duas construtoras responsáveis por obras no Programa Minha Casa Minha Vida e três fazendas acreanas.

Três fazendas acreanas estão na “lista suja”/Foto: Reprodução

A União tinha até o dia 27 deste mês para publicar a lista atualizada. O descumprimento implicaria em multa diária de R$ 10 mil. A lista tem que ser atualizada e publicada periodicamente, no máximo a cada seis meses. A única publicação da lista tinha sido feita em outubro de 2017.

As fazendas acreanas que estão na lista são: Fazenda Perseverança, Fazenda Estância Guanabara e a Fazenda Agropecuária Sorriso, todas localizadas em Rio Branco. As fazendas Perseverança e Guanabara já se encontravam na lista de outubro de 2017.

As três empresas acreanas juntas estão sendo autuadas por 31 trabalhadores que estão sendo submetidos a trabalhos análogos a escravidão. No geral total são mais de 2.300 pessoas submetidas a “trabalho escravo”, o que é proibido por lei no Brasil.

comentários

Outras Notícias

Veja Também