Dados do orçamento de Cruzeiro do Sul mostram por que não há verba para o essencial


Segundo o Portal da Transparência, comissionados já são quase 2 mil; número supera o de servidores efetivos

Foto capa ARCHIBALDO ANTUNES, DA CONTILNET

Pistas

Ainda que incipiente, repleto de lacunas e omissões, o Portal da Transparência da prefeitura de Cruzeiro do Sul é capaz de fornecer indícios suficientes para apontar as razões pelas quais a gestão do prefeito Ilderlei Cordeiro (MDB) vem a ser um terrificante desastre.

Garimpagem

Quem se der ao trabalho de garimpar nas águas turvas do portal poderá encontrar algumas pedras nada preciosas. Vamos a elas.

Antecedente  

Antes, porém, é preciso dizer ao leitor que este portal noticiou o caso de uma motociclista que decidiu acionar o município cruzeirense depois de sofrer um acidente em decorrência de um buraco na via.

Lembrete

E como não se trata de um caso isolado, se faz necessário, também, mencionar que dias atrás os integrantes do MBL (Movimento Brasil Livre) trataram de protestar contra a precariedade da malha viária do município.

Impossível não mencionar

Faço questão ainda de acrescentar que meses atrás o prefeito Ilderlei Cordeiro, em entrevista concedida ao repórter Jorge Natal, tratou de atribuir as dificuldades presentes aos problemas herdados do antecessor Vagner Sales – com quem ele dividiu o palanque e fez questão de exaltar os feitos daquele que o guindou ao comando do município.

Aos fatos

Pois bem, feito o preâmbulo, tratemos dos dados constantes no Portal da Transparência.

Batalhão

A primeira informação a ser destacada, para o estarrecimento de qualquer terráqueo com o mínimo de bom senso, diz respeito ao número de servidores na prefeitura do emedebista. Conforme se pode atestar pelo print feito pelo colunista, e aqui reproduzido, os funcionários de carreira somam 1.426 pessoas. Já os comissionados, 1.931.

Ineditismo

A prefeitura cruzeirense, sob a gestão do aloprado Ilderlei Cordeiro, deve ser a única em todo o Brasil em que o número de apadrinhados políticos supera o de funcionários concursados.

Indignação

E como esta coluna já denunciou o exagero do ex-prefeito petista Marcus Alexandre em manter 444 apaniguados na administração pública da capital, é obrigado agora a elevar o tom da indignação contra o descalabro promovido pelo emedebista cruzeirense.

Abarrotamento

Talvez por inépcia – ou mais provavelmente por deliberação de quem não pretende revelar o tamanho da farra com o dinheiro público –, não foi possível localizar o montante despendido com esse plantel de servidores, muitos dos quais, por sinal, cumprem expediente nos corredores da sede do Poder Executivo municipal por não ter, sequer, onde se sentar.

Exumação

Não bastasse o excesso de aspones acomodados sob a generosidade de um político que jazia sepultado até que Vagner Sales decidiu exumá-lo, há outros pontos intrigantes no detalhamento orçamentário do município.

Fartura

Um desses pontos vem a ser o valor destinado à manutenção do gabinete do prefeito, estipulado neste mês de maio em quase R$ 350 mil.

Negócio em família

Ainda mais estarrecedor vem a ser o repasse feito ao Fundo de Assistência Social, que suponho ser gerido pela secretária Keiliane Cordeiro, esposa de Ilderlei. Dos R$ 617 mil destinados ao fundo, mais de R$ 536 mil foram pulverizados em despesas com ‘pessoal e encargos sociais’, conforme publicação no portal da transparência.

Comparação

Esse valor, por sinal, está muito próximo do montante repassado à Secretaria Municipal de Obras e Infraestrutura, cuja receita é de pouco mais de R$ 763 mil.

Queijo suíço

Desnecessário explicar que a mencionada secretaria vem a ser a responsável pelos serviços de recuperação das vias públicas. E que a fatia que lhe cabe do bolo orçamentário municipal é incompatível com o tamanho da demanda de uma cidade que, de tão esburacada, nos faz lembrar um queijo suíço.

Conversa de bêbado pra delegado

Ao mandar apagar as pichações do MBL no asfalto, as quais denunciavam a buraqueira e o excesso de comissionados na prefeitura, os manifestantes receberam como resposta do prefeito que não há recursos para o recapeamento das ruas.

Omissão

Os dados aqui expostos comprovam que Ilderlei não mentiu. Apenas deixou de confessar que a grana tem sido malbaratada no pagamento da turba que haverá de infestar as ruas de cabos eleitorais durante as eleições deste ano.

Erro crasso

Ex-vice-prefeito de Cruzeiro do Sul e depois deputado federal pelo PPS, Ilderlei Cordeiro, por conta dos próprios tropeços, acabou por ser soterrado pela desaprovação dos conterrâneos. Foi então que Vagner Sales tratou de resgatá-lo do limbo. Mas não fez isso sozinho, claro. Os eleitores, em sua maioria, ajudaram na exumação. Antes, porém, tivessem optado por manter Cordeiro em seu sepulcro político.

Outras Notícias