Ônibus sem freios e com documentação irregular bate em carreta de combustível e em caminhonete na 364


“Na hora que saímos com vida só lembramos de agradecer a Deus”, disse a dona de casa Maria Iraci de Freitas, 67 anos viajava com o neto para a cidade de Feijó

REDAÇÃO CONTILNET

Um acidente envolvendo um ônibus, uma caminhonete e uma carreta de combustível na BR-364, a cerca de 35 quilômetros de Sena Madureira, quase acaba em uma grande tragédia na manhã de terça-feira (22).

O motorista da carreta, Marcos Henrique Galdino de Souza, de 40 anos, disse à ContilNet que uma das principais causas do acidente foi a falha no sistema de freios do ônibus (placa NHL 7633 ), de propriedade da empresa Trans Acreana LTDA ME (Transacreana) que transportava dezenas de pessoas, inclusive idosos e crianças recém nascidas, no momento em que colidiu com a carreta.

O ônibus da empresa Transacreana apresentou problemas nos freios e está com documentação irregular/Foto: ContilNet

De acordo com Marcos Henrique, o ônibus, que segundo ele parecia estar sem freios, bateu na traseira da caminhonete L-200, que viajava rumo a Feijó, após ter batido na sua carreta com violência, quebrado e arrancado uma de suas rodas.

“Tenho câmeras na frente e dos lados do meu caminhão, o acidente está todo registrado. O ônibus bateu com violência na minha lateral, arrancando uma das rodas da carreta e em seguida bateu na caminhonete. É um milagre estar todo mundo vivo”, conta.

O motorista Marcos Henrique olha o estrago em uma das rodas da carreta/Foto: ContilNet

O motorista do ônibus, Antonio Carlos da Costa Dantas, de 32 anos, que viajava com destino a Cruzeiro do Sul, confirmou a reportagem da ContillNet que seu veículo estava com problemas nos freios, e culpou também dois caminhões furgões que, segundo ele, estavam estacionados logo após a subida da pequena ladeira onde ocorreu o acidente.

“Quando subi a ladeira vi os dois caminhões furgões e a caminhonete. Em seguida, ví a carreta de combustível. Então, tive que optar. Não pensei duas vezes em jogar o ônibus em cima da caminhonete L-200, já que eu vinha transportando muitas pessoas. Se batesse de frente ia matar todo mundo, o desastre seria maior”, explicou Antonio.

O passageiro Nilson Araújo, de 54 anos, o Curió, disse que o ônibus estava mesmo sem freios. “Eu vi todo o acidente. Se o motorista freou, não teve nenhum efeito. Ele mesmo me disse que seu veículo estava com problemas no freio. Se tivesse freado, as marcas das rodas estariam no asfalto. Acho que o ônibus está muito velho e sem manutenção”, comenta.

Maria José estava dormindo com o filho, que tem três meses de vida quando ouviu os gritos dos passageiros/Foto: ContilNet

O policial federal Wilse Filho esteve no local registrando o boletim de ocorrência do acidente e não escondeu a emoção: “Foi um grande milagre ninguém ter morrido”.

Jandira e Waldir Correia, um casal de idosos que completou 60 anos de casados, não estavam muito assustados. “Para nós não foi tanta aflição, porque servimos a Deus. Na hora em que clamamos a Deus, Ele atendeu e salvou a todos”, disse Jandira.

Maria José Azevedo, 20 anos, estava dormindo com o filho, que tem três meses de vida, quando ouviu os gritos dos passageiros. Ela estava levando o bebê para conhecer sua bisavó, que mora em Marechal Thaumaturgo. “Ficou todo mundo apavorado”, lembra.

“Na hora que saímos com vida só lembramos de agradecer a Deus”, disse a dona de casa Maria Iraci de Freitas, 67 anos viajava com o neto para a cidade de Feijó.

O ônibus, de placa NHL 7633, da empresa Transacreana, não só é suspeito de transportar passageiros com problemas nos freios, como está com seu Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo irregular. Pelo menos o documento apresentado pelo motorista à Polícia Rodoviária Federal (PRF) venceu em março de 2018.

Este slideshow necessita de JavaScript.

comentários

Outras Notícias

Veja Também