Pimenta: após reveladas doações a igrejas, Ilderlei acusa Sales de sumir com recursos do INSS


Prefeito de Cruzeiro do Sul afirmou em entrevista que antecessor deixou de pagar a Receita Federal; rombo pode chegar a R$ 100 milhões, segundo ele

Foto capa ARCHIBALDO ANTUNES, DA CONTILNET

Coisas da política

A empresa Vance Assessoria Auditoria Contábil presta serviços para a Câmara de Vereadores de Cruzeiro do Sul e para a prefeitura do município. Os empenhos de pagamento feitos pelos dois órgãos, aos quais se pode ter acesso tanto no portal da transparência do Legislativo municipal quanto no do Executivo, descrevem serviços distintos – como vêm a ser, também, os valores pagos à empresa.

Busílis

Não há nada demais no fato de uma empresa anteder a dois poderes diferentes, certo? O problema está na enorme disparidade entre os valores mensais que Executivo e Legislativo destinam aos serviços da Vance.

Alguém explica, por favor

Enquanto a Câmara Municipal remunera a firma com pouco mais de R$ 3 mil mensais, a prefeitura desembolsa mais de R$ 24 mil por mês. Ah, e outro detalhe: entre janeiro e junho de 2017, o valor repassado à Vance era de R$ 21.910. A partir do mês seguinte, sem que houvesse qualquer acréscimo no histórico de prestação de serviços, esse valor saltou para R$ 24.086,65.

Fartura

No ano passado, a empresa embolsou quase R$ 276 mil só da prefeitura de Cruzeiro do Sul. Neste ano, realizados apenas três pagamentos, o montante já está na casa dos R$ 72,2 mil.

Enfim, uma manifestação

A assessoria de imprensa da prefeitura de Rodrigues Alves soltou ontem (15) uma nota sobre a prisão do secretário de Agricultura do município, Neto Lima, ocorrida no último sábado (11).

Contexto

Lima foi detido por agentes da Polícia Federal no porto de Cruzeiro do Sul, quando um caminhão da prefeitura de Rodrigues Alves já havia feito a travessia do rio Juruá, a bordo da balsa, carregado com pranchas de madeira supostamente de propriedade do secretário.

Acusação

Levado à sede da PF, Neto Lima deverá responder pelo crime de peculato – que vem a ser o uso de bens ou dinheiro público em proveito pessoal.

Hora e local errados

Pois bem, a nota emanada da assessoria alega que o secretário Neto Lima estava apenas “olhando a movimentação no porto”, e que nada tinha a ver com a transporte irregular da madeira. Trata-se da velha máxima de se estar no lugar errado, na hora errada…

Azarão

Como a PF abordou o veículo da prefeitura, ele se apresentou como secretário de Agricultura de Rodrigues Alves e assumiu a responsabilidade pelo transporte da madeira, que alega pertencer a terceiros. E por isso foi preso pelos agentes.

Risível

A ironia do texto enviado aos jornais reside no detalhe de que o escriba tratou de desmentir que Lima Neto estivesse no interior do caminhão, conforme relato feito pela imprensa – e como se isso fosse prova irretorquível de sua inocência.

Ressalva

Que fique claro, porém, que esta coluna não desconsidera a possibilidade de o secretário de Rodrigues Alves ser inocente no episódio, bem como não descarta sua culpa. Tal decisão, óbvio, é – ao mesmo tempo – prerrogativa e obrigação da justiça, em sentença a ser dada com base no inquérito da PF.

Perguntar não ofende

Ocorre, porém, que estando o Sr. Neto Lima sob suspeição de ter praticado peculato, o correto não seria afastá-lo de suas funções na prefeitura? Ao que parece, o prefeito Sebastião Correia (foto) acha que não.

Pobre língua portuguesa

Este colunista não pôde deixar também de observar que o escriba cometeu uma gafe na referida nota. No último parágrafo se pode ler que o prefeito Sebastião Correia, do MDB, “informa que sua gestão apoia todas operações realizadas pela Polícia Federal, Exército Brasileiro e Instituições Federais e Estaduais de proteção ao Meio Ambiente no perímetro do Município de Rodrigues Alves” (o grifo é da coluna). Ora, do jeito que está escrito, o texto no induz a concluir que, uma vez fora dos limites do município, o emedebista não apoia as instituições citadas…

Lamento

O presidente da Assembleia Legislativa do Acre, deputado estadual Ney Amorim (PT), lamentou a morte do empresário Mário Yonekura, ocorrida na madrugada de ontem (15), em São Paulo, onde ele se recuperava após um transplante.

Pêsames

“Foi com muita tristeza que recebi a notícia de que o amigo Mário Yonekura faleceu, na madrugada desta segunda-feira, em São Paulo. Líder empresarial, que deixa um grande legado na construção civil e no setor madeireiro acreano, Mário era também um homem visionário, à frente do seu tempo, e para mim, foi um privilégio tê-lo como grande amigo. À família, as minhas sinceras condolências, rogando a Deus que o receba na Luz Eterna”, escreveu Ney Amorim.

Tensão no ar

Pelas bandas de Cruzeiro do Sul, o clima de beligerância entre os grupos do ex-prefeito Vagner Sales (MDB) e de Ilderlei Cordeiro (Progressistas) é tamanho que se corre o risco de vê-los se engalfinharem caso se encontrem em algum lugar.

Acusação grave

A hostilidade deverá aumentar ainda mais com a entrevista dada por Ilderlei à TV Gazeta, acusando o antecessor de gerar dívidas com a Receita Federal de aproximadamente R$ 100 milhões.

Impedimento

Segundo o atual prefeito, não se sabe ainda aonde foi parar o dinheiro descontado dos servidores da prefeitura e que não era repassado ao Fisco. Devido a esse fato, disse Ilderlei, o município está impedido de receber recursos extraorçamentários.

Coincidências existem

A propósito, a denúncia foi feita logo depois que este colunista revelou, em reportagem para a ContilNet, que Ilderlei já destinou mais de R$ 140 mil a entidades religiosas só nos primeiros cinco meses deste ano. O que pode ter sido só uma coincidência, não é mesmo?

comentários

Outras Notícias