Polícia Civil prende suspeitos de assassinar a tiros tatuador no bairro Belo Jardim


Após a prisão, os acusados Wesly e Adão afirmaram que o homicídio foi motivado por vingança

REDAÇÃO CONTILNET

Policiais civis que faziam uma investigação na região do bairro Belo Jardim, em Rio Branco, se depararam com dois homens em uma motocicleta. Suspeitos de assassinar a tiros, mementos antes, o tatuador Cristiano Campos da Silva, 37, eles foram perseguidos e acabaram presos depois de cair do veículo.

A dupla foi detida na BR-364, próximo ao radar do km 04, na saída da Capital.

Segundo a polícia, o tatuador Cristiano Campos foi morto a tiros dentro de sua residência, onde trabalhava.

A arma que segundo a polícia foi usada no crime/Foto: cedida

Enquanto atendia um cliente, dois homens entraram no estúdio, localizado na Travessa Flamengo, no bairro Belo Jardim I. Os recém-chegados foram identificados pela polícia como Wesley da Silva Parada, 18 anos, e Adão Teixeira Ferreira (de idade não revelada).

Já dentro do estúdio, eles propuseram a Cristiano uma negociação, que consistia na oferta de um aparelho celular em troca de uma tatuagem.

Quando a vítima pegou o telefone, os acusados descarregaram contra ela o revólver calibre 38. Dois tiros acertaram o tatuador – um nas costas e outro na nuca.

Após o crime, os suspeitos tentaram fugir e acabaram presos por agentes da Delegacia de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP).

Segundo o delegado Rêmulo Dinis, em depoimento, os acusados teriam dito que o crime foi motivado por vingança.

comentários

Outras Notícias

Veja Também