Deputados tentam em Brasília soluções para setores de comunicação e energia elétrica no Acre 


Apagões constantes e rompimento nos cabos de fibra ótica causam transtornos à população

SAIMO MARTINS, PARA CONTILNET

Os deputados federal Major Rocha e o estadual Luiz Gonzaga (ambos do PSDB) participaram de uma série de reuniões em Brasília com o  objetivo de buscar soluções para os constantes problemas de telefonia móvel e aceso à internet, sobretudo no Juruá. Outro ponto do encontro foi a interligação do a região com a rede nacional de energia elétrica, através do “Linhão”.

Juntamente com representantes das empresas OI e Anatel, detentora da concessão de internet e telefonia fixa e móvel naquela região, os dois parlamentares acreanos pediram providências para os problemas recorrentes na prestação do serviço de comunicação.

Reunião com representante da Anatel: serviços péssimos no Juruá/Foto: reprodução

“A falta de internet e telefone causa prejuízos ao comércio e à rede bancária. E o mais grave e que sem conexão à web e sistema de telefonia, a criminalidade aproveita para realizar delitos, já que não é possível a comunicação com os órgãos de segurança pública”, destacou Rocha.

Segundo Gonzaga, os constantes blecautes causam muita dor de cabeça à comunidade e aos comerciantes, por reduzir as vendas por meio de cartão de crédito e débito bancário.

Segundo Alvimar Camacam, diretor de relações institucionais da Oi, “muitas vezes o rompimento ocorre de forma criminosa, e como não há outro cabo reserva para a região, a falta de comunicação é inevitável.

Energia estável

Os tucanos estiveram ainda na sede da Eletrobras, onde trataram dos motivos que levaram à suspensão da obra do linhão de transmissão de energia a Cruzeiro do Sul, o que propiciaria a desativação da usina termelétrica, localizada em Cruzeiro do Sul.

Gonzaga e Rocha solicitaram à empresa um estudo de viabilidade de transferência da usina desativada de Rio Branco para a região do Juruá, que serviria de backup em caso de apagões.

Questão do Linhão do Juruá 

O chefe de gabinete da Presidência, Fernando Lomonaco e o assessor do diretor de engenharia, Luiz Rufato, explicaram que a obra do linhão foi paralisada porque a concessionária que ganhou a licitação da obra pediu recuperação judicial.

“A Eletrobrás não desistiu da obra do linhão, que custará R$ 427 milhões de reais, pois somente com óleo diesel gastamos 500 milhões de reais por ano para fornecer energia para Cruzeiro do Sul e região”, revelou.

Com informações do Alto Acre

comentários

Outras Notícias

Veja Também