Flanelinha assassinado tinha ação judicial para conseguir herança e polícia investiga relação


O tiro, segundo a perícia, foi disparado pelas costas enquanto ele estava sentado em uma poltrona usada para vigiar a entrada e a saída dos veículos

REDAÇÃO CONTILNET

Após ouvir pessoas próximas ao Flanelinha Rosiel Nascimento da Silva, de 35 anos, assassinado na noite desta terça-feira (3), no Canal da Maternidade, a Delegacia de Homicídios já abriu inquérito investigativo para apurar o crime e chegar até os suspeitos que estavam de motocicleta.

Caso aconteceu na noite de terça-feira/Foto: reprodução

Eles buscam imagens de câmeras de segurança que possam ajudar nas investigações e ainda possíveis testemunhas que possam colaborar com a polícia.

Nessa primeira oitiva com o delegado Sérgio Lopes, foi informado que a vítima possuía uma ação judicial para reconhecimento de paternidade e a partir daí ter direito a uma possível herança patrimonial deixada pelo pai afetivo que morreu há poucos meses.

A sua audiência estava programada para acontecer nesse mês de julho e a polícia investiga se essa informação tem alguma relação com seu homicídio.

Além disso, o delegado também está fazendo o levantamento de sua ficha criminal para saber se tinha algum tipo de passagem pelo sistema que o possa associar há algum envolvimento com facção criminosa. Além de trabalhar como flanelinha, o homem também trabalhava em serviços gerais em uma panificadora.

O tiro, segundo a perícia, foi disparado pelas costas enquanto ele estava sentado em uma poltrona usada para vigiar a entrada e a saída dos veículos. O que chamou a atenção é que Rosiel morreu antes mesmo de receber qualquer atendimento médico e de pernas cruzadas.

comentários

Outras Notícias

Veja Também