Políticos e artistas defendem Lula candidato em festival ‘Lula Livre’; TRE vê campanha antecipada


UOL

Cantores e outros artistas participaram neste sábado (28) de um ato que pedia a liberdade do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). O evento foi realizado em um palco montado no bairro da Lapa, na região central do Rio. No início do evento, fiscais do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Rio recolheram panfletos e materiais que, para o órgão, configuravam campanha antecipada.

Festival Lula Livre/Foto: reprodução

Lula está preso desde abril, condenado a 12 anos e um mês por corrupção e lavagem de dinheiro no caso do tríplex. Na última pesquisa Ibope, do fim de junho, liderava as intenções de voto, com 33%, à frente de Bolsonaro (15%), Marina (7%) e Ciro (8%).

Evento aconteceu na Lapa, no Rio de Janeiro/Foto: reprodução

Chico Buarque e Gilberto Gil encerraram o evento, já no início da madrugada deste domingo (29), e reeditaram um momento histórico ao entoarem a composição Cálice, no momento mais aplaudido da noite. Os dois haviam cantado a música juntos pela última vez em 1973, quando foram censurados pela ditadura.

No período militar, os cantores trocaram a letra para burlar o cerceamento, mas ainda assim o microfone de Chico acabou sendo cortado para impedir a interpretação em 1973, durante o festival Phono 73. Desta vez, os artistas contaram um coro da plateia e dezenas de artistas que participaram do festival.

Chico Buarque foi um dos idealizadores do evento, enquanto Gilberto Gil exerceu o cargo de ministro da Cultura entre 2003 e 2008, durante o governo do ex-presidente.

Outras Notícias

Veja Também