Presidente da Asmac diz que não se pode responsabilizar magistrados pela violência no Acre


Texto foi enviado à ContilNet após veiculação de reportagem sobre recaptura de presos

REDAÇÃO CONTILNET

Em resposta à matéria de título “Liberado em audiência de custódia, casal é preso novamente em menos de 24 horas”  , publicada ontem (11), o presidente da Associação dos Magistrados do Acre, juiz Luís Vitório Camolez, enviou à redação do site uma nota na qual defende a magistratura do Acre.

No texto, Camolez afirma que os juízes, “muito antes de manter as prisões realizadas, tem por escopo verificar se a sua efetivação não implica em violação de direitos, garantindo, assim, o cumprimento das leis”.

Luís Vitório Camolez, presidente da Asmac/Foto: reprodução

Leia a seguir a íntegra do texto encaminhado pela assessoria de imprensa da Asmac.

Nota em defesa da magistratura

A Associação dos Magistrados do Estado do Acre (Asmac) vem a público manifestar apoio aos juízes responsáveis pelas audiências de custódia que todos os dias analisam tecnicamente as prisões realizadas e suas circunstâncias.

Não se pode responsabilizar a magistratura pela violência que atinge todos os acreanos. A criminalidade envolve questões complexas e que necessitam de estudos profundos sobre suas causas e, consequentemente, seus efeitos.

A Magistratura, muito antes de manter as prisões realizadas, tem por escopo verificar se a sua efetivação não implica em violação de direitos, garantindo, assim, o cumprimento das leis.

Aos magistrados, no estado democrático de direito, cabe fazer cumprir a legislação vigente.

Luís Vitório Camolez

Presidente da Asmac

comentários

Outras Notícias

Veja Também