Convenção homologa candidatura de Gladson Cameli ao governo em ginásio lotado


Organizadores estimaram em mais de 12 mil os presentes; muitos ficaram do lado de fora por falta de espaço

SALOMÃO MATOS, DA CONTILNET

Ao lado da esposa e filho, o candidato ao governo do Acre Gladson Cameli (Progressistas) foi o anfitrião da convenção partidária no Ginásio do Sesc Bosque, na noite deste sábado (4), durante a qual foram apresentados todos os nomes que vão disputar as eleições de 2018 pela oposição no estado. A chapa é composta por 11 partidos e 175 postulantes à Câmara Federal e à Assembleia Legislativa do Acre (Aleac).

O evento também apresentou os candidatos da coligação ao Senado da República, Marcio Bittar (MDB), e Sérgio Petecão (PSD), além do vice na chapa de Cameli, Major Rocha (PSDB).

Gladson ao lado da esposa e do filho na convenção deste sábado/Foto: cedida

Segundo a organização do evento, entre 12 e 15 mil pessoas compareceram à convenção. Muitos ficaram do lado de fora por falta de espaço. Mais se 20 ônibus e caravanas vieram das regiões do Baixo e Alto Acre, além da região do Juruá, terra natal de Gladson Cameli.

Cameli ao lado de Sérgio Petecão, Major Rocha e Marcio Bitar/Foto: cedida

“Aqui não tem ninguém comprado, ou que tenha vindo por medo de perder o emprego”, discursou ele, ironizando os adversários. “Aqui só há pessoas que vieram de livre e espontânea vontade, que alimentam a esperança e a convicção de que o Acre passará por mudanças nas eleições de outubro deste ano”.

Gladson pediu a união de todos e fez questão de citar os graves problemas na segurança pública.

“O momento pede a união de todos”, disse o pré-candidato ao governo

“Nosso compromisso é com o cidadão, e por isso vamos nos comprometer a resolver o drama de milhares de pessoas que hoje estão acuadas pela onda de violência que o atual governo não consegue conter”, disse ele, ressaltando a importância de ter em sua chapa, como pré-candidato a vice-governador, o deputado federal tucano Major Rocha, que fez carreira na Polícia Militar do estado.

Rumo ao futuro

O senador do Progressistas afirmou ainda que caso vença as eleições não fará um governo com ‘os olhos no retrovisor’, que tenha como prática culpar os adversários políticos por todos os problemas.

“A partir do dia 1º de janeiro, a responsabilidade [pela administração pública estadual] será minha e do Major Rocha”, pontuou.

Gladson também fez questão de ressaltar que não haverá mais perseguição “a quem quer que seja”, mas em especial aos servidores públicos do estado.

“Quem está aqui veio de livre e espontânea vontade”, ressaltou Cameli/Foto: cedida

“Todos seremos livres”, afirmou ele diante da multidão que lotou o ginásio.

Leia a seguir a íntegra do discurso do pré-candidato ao governo do Acre pela oposição:

Meus irmãos do Acre,

Quero agradecer a Deus, em primeiro lugar e a todos vocês que hoje estão aqui, fazendo esse compromisso com o nosso estado e com o nosso futuro.

Agradecer a todos os presidentes de partidos, candidatos, filiados e militantes. Todos, sem exceção! Não vou citar nomes porque esse será o nosso caminho: menos ‘eu’ e mais ‘nós’.

Quero dividir com vocês como cheguei até aqui. Para aceitar esse desafio, conversei muito com Deus, com minha família e comigo mesmo.

Ouvi muitos ‘nãos’, é verdade.

Se fosse apenas pela razão, quem aceitaria a missão de pegar um estado arrasado; refém do medo e entristecido pela desesperança?

Mas uma missão como essa, não se escolhe, se é escolhido!

E eu encarei o desafio ciente de que não estou sozinho. Temos vocês, temos o Acre todo e temos Deus no coração!

Obrigado Ana Paula, mais que esposa, minha eterna namora e companheira de vida e Guilherme, meu filho. Vocês são a razão e o estímulo para continuar lutando.

Afinal, sobre o que é essa eleição?

Não é sobre o nosso azul contra o vermelho que agora eles querem esconder.

Não é apenas sobre quem traz renovação contra quem deseja que tudo continue como está.

Não é sobre esse nome ou aquele outro.

Essa eleição é sobre a verdade de cada um.

É sobre quem quer o governo para diminuir as dores do povo contra quem quer o poder apenas para continuar onde está.

Essa eleição é sobre quem vai respeitar as famílias. E respeitar as famílias do Acre é mostrar para o pai que ele pode ganhar dignamente o pão de cada dia. É mostrar para a mãe que a sua família pode ter, sim, segurança, saúde e educação de qualidade. É devolver para os filhos o direito de sonhar com um futuro melhor.

Respeitar as famílias do Acre é propor um caminho diferente.

E vamos respeitar todas as famílias! Inclusive as dos nossos concorrentes ao fazer uma campanha limpa e digna; capaz de ter com eles o respeito que nem sempre terão conosco.

Essa eleição é sobre quem somos.

Vocês estão vendo essas faixas escritas ‘Gladson”, ‘Rocha’, ‘Petecão’ e ‘Marcio’. Imaginem ali o nome de cada um de vocês, dos seus vizinhos, dos moradores da sua cidade, do nosso estado. O nome das pessoas que mais precisam e foram esquecidas durante 20 anos. Essa será uma campanha e um governo de todos e não só de um partido.

Por isso, eu peço: não façam essa campanha pelos candidatos.

Não façam essa campanha pelos partidos.

Não façam essa campanha como são feitas todas as outras.

Façam essa campanha guiados pelo seu coração. Façam essa campanha pelo sentimento de amor ao Acre.

Nossos adversários não são as pessoas que nos atacam.

Nossos adversários são os desafios que precisamos vencer: o desemprego, a insegurança, a falta de saúde, a falta de futuro e principalmente a falta de amor pelo nosso povo.

Por isso, Rocha, você será mais que meu vice.

Será meu parceiro porque um governador trabalhando 24 horas é pouco. Um governador e um vice trabalhando 48 horas por dia ainda é pouco. Mas junto conosco, um estado todo trabalhando e sonhando juntos é o necessário para mudar as coisas para melhor.

Meus irmãos! Estamos vivendo um tempo histórico. E eu tenho certeza de que, daqui a 4 anos, nós vamos dizer que valeu a pena de todo o coração!

Muito obrigado, fé em Deus e vamos todos à vitória!

loading...

comentários

Outras Notícias

Veja Também