Gehlen presta apoio aos concursados da PM: “O pior governador do Acre não vai convocá-los”


Deputado do PP afirmou que desgoverno não irá investir nos concursados para "segurar" os cargos comissionados até as eleições

ASTORIGE CARNEIRO, DA CONTILNET

A polêmica envolvendo os protestos dos aprovados no concurso da Polícia Militar (PM) chegou à Assembleia Legislativa do Acre (Aleac). Durante a sessão desta terça-feira (7), um grupo de aprovados se manifestou no plenário com faixas pedindo ao governo do Estado que contrate os aprovados, reforçando a segurança do Acre e garantindo os empregos de quem estudou para a aprovação no processo seletivo.

Deputado criticou o governo do PT na Aleac (Foto: Reprodução)

Durante seu momento de fala na tribuna, o deputado Gehlen Diniz (PP) declarou apoio aos aprovados, e ainda criticou o atual governo por não efetivá-los diante do aumento da criminalidade no Estado.

“Por que o governo do PT não contrata? Porque em 20 anos de desgoverno do PT, o governo está falido! É uma herança maldita do PT. Estamos vivendo assim por falta de investimento nos anos passados. O ingresso no crime por parte dos jovens acreanos é em decorrência da falta de investimentos na educação e na geração de empregos”, afirmou Diniz.

CONVOCAÇÃO URGENTE

Ainda de acordo com a fala de Gehlen, os concursados não são prioridade devido ao período eleitoral: “A convocação de vocês tem que ser urgente! Mas o governo têm prioridades: manter os cargos comissionados ao invés de contratarem vocês. Querem ganhar votos, querem controlar os eleitores. Esse desgoverno só pensa em se manter no poder, mas felizmente, esse esquema de poder está chegando ao fim”.

Definindo Tião Viana como “o pior governador do Acre”, Gehlen também disse que Tião não possui intenção de convocar nenhum dos aprovados. “Tião Viana Não vai convocá-los. hoje, ninguém quer mais saber de PT – a não ser aquele pessoal que se candidata à presidência mesmo preso. O próximo presidente não vai resolver todos os problemas do dia pra noite, mas precisamos de uma nova experiência na política”, destacou o parlamentar.

comentários

Outras Notícias

Veja Também