No Acre, mães alegam que vacina contra HPV deixou 15 meninas com sequelas e matou três


A Saúde recebeu nove denúncias formais de reações da vacinação

NANY DAMASCENO, DO CONTILNET

Mães de meninas que tomaram a vacina contra o HPV (Papiloma vírus humano) no Acre, protestaram na manhã desta sexta-feira (3), no Centro de Rio Branco, relatando sequelas severas enfrentadas por 15 adolescentes. Segundo as manifestantes, além das que enfrentam as consequências das vacinas, outras três morreram após tomar as doses aplicadas pela saúde pública.

Mães denunciam mortes e sequelas após vacinação contra HPV/Foto: Cedida

Leila Graziele é mãe da Vitória Daniele, de 15 anos, e afirma que a filha tomou a vacina em 2014 e desde então tem convulsões diariamente. “Ela tem dores por todo o corpo, paradas cardíacas e respiratórias constantemente”, declarou. Daniele atualmente está no Paraná, fazendo tratamento.

Joelma Dantas, prima da jovem da Bárbara Geovana, 13 anos, conta que a adolescente também sofre as consequências da vacina e há 22 dias está internada. “A minha prima tomou a primeira dose e passou mal, menstruou em seguida e teve que tomar sangue de tão forte que foi a perda de sangue, hoje está internada na Fundação sem andar, os braços e língua enrolam, ao chegar no Pronto Socorro colocaram ela na ala psiquiátrica afirmando que ela estava em abstinência alcoólica, sendo que ela não bebe e tão pouco a mãe bebeu na gravidez”.

Protesto aconteceu na manhã desta sexta/Foto: Cedida

No Acre, a Saúde recebeu nove denúncias formais de reações da vacinação. Na próxima semana, o Ministério da Saúde (MS) estará no Acre para acompanhar a situação.

 

O que é HPV?

HPV é um vírus que atinge a pele e as mucosas, podendo causar verrugas ou lesões percursoras de câncer, como o câncer de colo de útero, garganta ou ânus. O nome HPV é uma sigla inglesa para “Papiloma vírus humano” e cada tipo de HPV pode causar verrugas em diferentes partes do corpo.

O HPV é um vírus que se transmite no contato pele com pele, por isso pode ser considerado uma doença sexualmente transmissível. No primeiro contato sexual 1 em cada 10 meninas chega a entrar em contato com o vírus. Conforme o tempo passa, entre 80 e 90% da população já entrou em contato com o vírus alguma vez na vida, mesmo que não tenha desenvolvido lesão. Mas é importante lembrar que mais de 90% das pessoas conseguem eliminar o vírus do organismo naturalmente, sem ter manifestações clínicas. Fonte: Minha Vida

Outras Notícias

Veja Também