No Estadão, sociólogo critica governo do AC: “2º estado que mais prende, por outro lado é um dos mais violentos”


"O caso do Acre é muito interessante”, analisa sociólogo, professor da PUC e membro do Fórum Brasileiro de Segurança

TON LINDOSO, DA CONTILNET

Mais uma vez o Acre vira notícia por conta da violência. Desta vez, uma análise publicada no Estadão ironizou dados apresentados na segurança pública local. Em artigo, o sociólogo, professor da Pontifícia Universidade Católica (PUC) do Rio Grande do Sul e membro do Fórum Brasileiro de Segurança, Rodrigo Azevedo, comentou dados do Fórum Brasileiro de Segurança Pública de 2017 e classificou o caso do Acre como ‘interessante’.

“O caso do Acre é muito interessante. Porque o Acre aparece no Anuário como o 2º Estado brasileiro que mais prende hoje. A taxa de encarceramento no Acre é muito elevada, é a 2ª mais elevada do País. Perde apenas para o Mato Grosso do Sul. E por outro lado o Acre é o segundo estado mais violento”, ironizou.

Falta de segurança trouxe Força Nacional ao antes pacato Acre/Foto: Exército/Divulgação

Ele completa classificando a partidária como equivocada e critica as condições atuais do sistema carcerário brasileiro. “Ou seja, essa crença de que prender mais possa, de alguma forma, ser um mecanismo de contenção eficiente também se mostra equivocada da forma como as coisas acontecem hoje no Brasil. O encarceramento ocorre em condições precárias, em presídios superlotados e dominados por facções criminais. Na verdade, o encarceramento em massa é mais um mecanismo de reforço dessa tendência de crescimento da criminalidade”.

O Fórum Brasileiro de Segurança Pública de 2017 apontou recorde de mortes violentas no Brasil no ano passado e trouxe o Acre nos dados mais tristes. Para ler o artigo completo, clique AQUI.

loading...

comentários

Outras Notícias

Veja Também