Em coletiva, MDB e PSL firmam compromisso de apoiar Jair Bolsonaro no segundo turno


Bittar fez questão de agradecer o apoio do PSL à sua candidatura para o Senado Federal

SAIMO MARTINS, DO CONTILNET

A Executiva do Partido Social Liberal (PSL) no Acre concedeu uma coletiva de imprensa na manhã desta quarta-feira (10) para anunciar a decisão do  Movimento Democrático Brasileiro (MDB) no estado em apoio à candidatura do presidenciável Jair Bolsonaro no segundo turno das eleições 2018.

Participaram da coletiva, que teve início às 10 horas e contou com a presença de dirigentes, militantes e do candidato da sigla ao governo do Acre, o candidato derrotado ao governo coronel Ulysses Araújo, além de lideranças emedebistas, como o deputado estadual Chagas Romão, o vereador Roberto Duarte e o senador eleito Marcio Bittar.

Ulysses disse que 70% da votação no Acre nas eleições de domingo (7) foram contra o PT. “A gente obteve uma grande votação e humilhamos nas urnas o partido que estava dominando nosso estado. Agora, estamos devolvendo a liberdade desse povo”, destacou.

Quanto à aliança com o MDB, o coronel agradeceu às lideranças emedebistas pelo apoio ao candidato do PSL e disse que toda a classe cristã está “fechada” com Bolsonaro. “Hoje, todos os evangélicos, cristãos, todos, estão 100% com o nosso candidato”, reiterou.

Pedro Valério, presidente do PSL no Acre, ressaltou que o apoio dos partidos é importante. Além de agradecer a Marcio Bittar, que desde o início da campanha decidiu apoiar Bolsonaro, mesmo sendo de outro partido.

 “Quero dizer que estou muito feliz pela decisão tomada pelo MDB aqui no Acre, em especial ao Marcio, pois aqui apoiamos sua candidatura como nossa segunda opção. Quero dizer a todo cidadão de bem que não aceite ser governado de dentro de um presidio. O MDB é bem-vindo à campanha de Bolsonaro”, frisou Valério.

Coletiva ocorreu na manhã desta quarta-feira/Foto: ContilNet

Em discurso Marcio Bittar disse que seu plano de governo se assemelha ao de Bolsonaro e por essa razão decidiu apoiar sua candidatura. “Uma de suas propostas (de Bolsonaro) é de que quem recebe até cinco salários mínimos fique isento do pagamento do imposto de renda. Quem propõe baixar a carga tributária no Brasil é o Jair”, enfatizou.

Bittar acusou a estratégia do PT de copiar as ideias e dizer que são de sua autoria. “É impressionante como eles gostam de copiar projetos. Meu mandato estará vinculado ao Senado da República para fazer as mudanças que o Brasil precisa. Quero aqui, publicamente, agradecer ao PSL, por me apoiar para o Senado. Poderiam ter lançado outro candidato, porém me apoiaram. Isso é uma atitude de grandeza da parte do Ulysses Araújo”, salientou.

Roberto Duarte representou o presidente do MDB no Acre, deputado federal Flaviano Melo, e declarou que pretende fazer Bolsonaro o mais votado no Acre. “Iremos ajudar o Jair Bolsonaro a ser o candidato mais bem votado no Acre. Irei percorrer os municípios e tenho certeza de que ele será o novo presidente do Brasil”, afirmou.

 

comentários

Outras Notícias

Veja Também