Governador Tião Viana não paga banco de horas extras dos militares e Associação denuncia


"O PT perdeu a sua maior bandeira: o pagamento em dia dos militares”, lamenta representante dos militares

SALOMÃO MATOS, DO CONTILNET

O presidente da Associação dos Praças e Bombeiros Militares do Acre (APRABMAC), Sargento Abrahão Púpio, lamentou, por meio de carta aberta que vem circulando nas redes sociais, que o governador do Estado, Tião Viana, enganou a categoria e deu “um calote” nos militares, não pagando, como prometido anexo, os salários de outubro e os vencimentos referentes os plantões e horas extras trabalhados pelos mesmos.

“Hoje, quarta-feira, 31/10, o pagamento foi creditado parcialmente, fracionado, sem os bancos de horas trabalhados no mês de setembro. O PT perdeu a sua maior bandeira: o pagamento em dia dos militares”, lamentou Púpio. O representante dos militares afirma ainda que o banco de horas é fundamental para compensar o déficit de efetivo da corporação e a execução dos serviços que executam.

Abrahão Púpio/Foto: reprodução

“O Governador deixou de pagar aos nossos militares em outubro o valor já trabalhado de R$ 678.643,49. A Fazenda Pública está se locupletando ilicitamente ao não nos pagar as horas trabalhadas”.

Confira carta aberta da APRABMAC:

Até o momento, calote confirmado contra os Bombeiros Militares!

Em 12 de outubro o Governador Tião Viana (PT) anunciou abruptamente a suspensão do “banco de horas” (plantão extra) dos bombeiros militares, prejudicando a amplitude dos serviços prestados à sociedade.

Hoje, quarta-feira, 31/10, o pagamento foi creditado parcialmente, fracionado, sem os banco de horas trabalhados no mês de setembro.

O PT perdeu sua maior bandeira: pagamento em dia dos militares! Em 2016 já tinha atrasado o pagamento da etapa de alimentação dos inativos PM/BM. A VAM (prêmio anual de valorização) também já não vem sendo paga.

Somos pouco mais de 500 Bombeiros(as) Militares  para todo o Acre.

Criado em 2009, o Banco de Horas é fundamental para compensar o déficit de efetivo (deveríamos ser 1.865) e a execução dos serviços que temos.

O Governador deixa de pagar  aos nossos militares em outubro o valor já trabalhado de R$ 678.643,49. A Fazenda Pública está se locupletando ilicitamente ao não nos pagar as horas trabalhadas! Não há trabalho escravo no Brasil 🇧🇷!

Estamos em 9 Batalhões pelo Acre. Estivemos nas operações da SESP. Mas o concurso público prometido em 2017 não ocorreu. Estamos em 3 unidades administrativas. Em 2 aeroportos. No projeto bombeiro Mirim, com 2 mil crianças no Estado. Estamos na Defesa Civil. Estamos no Tribunal de Justiça. No CIOSP. No Colégio Militar Dom Pedro II. Na Secretaria de Meio Ambiente. No Programa Nadando com o CBMAC. Estamos no SAMU.

Buscaremos os meios legais para recebermos o que já trabalhamos!

Registramos nosso repúdio ante o calote, até o momento infelizmente confirmado.

 *Abrahão Púpio – SGT BM*

Presidente APRABMAC

31/10/2018

comentários

Outras Notícias

Veja Também