MP pede investigação de atropelamento que vitimou “pai me dá um real” em Rio Branco


A vítima possui transtornos mentais e é conhecido por ficar pela região do Centro

SAIMO MARTINS, DO CONTILNET

Após o atropelamento de um morador de rua, há cerca de duas semanas, enquanto dormia nas dependências da Universidade Federal do Acre (Ufac), o Ministério Público do Estado do Acre (MPAC) abriu um pedido de investigação sobre o caso. O órgão busca providências junto ao Ministério Público Federal (MPF) e Secretaria de Estado da Polícia Civil.

A procuradora de Justiça Patrícia de Amorim Rêgo, coordenadora do Núcleo de Apoio ao Atendimento Psicossocial (Natera), enviou ofício ao secretário de Polícia Civil, Carlos Flávio Portela, solicitando a imediata instauração de inquérito policial para investigar o caso.

Caso aconteceu no último dia 5

Uma equipe do Natera, ligada ao MP, acompanha o caso e esteve na Unidade de Pronto Atendimento para averiguar o boletim de entrada e as condições clínicas da vítima, que também foi atendida no Hospital de Urgência e Emergência de Rio Branco (Huerb).

Entenda o caso

O caso aconteceu no dia  5 de outubro. Testemunhas disseram ter visto um veículo de cor branca e placa QNE 6610, subindo a calçada e entrando no quiosque onde dormia Ivanildo Barata da Silva, conhecido pela frase “Pai, me dá um real” e por ficar no Centro de Rio Branco, ele possui transtornos mentais.

“Depois que atropelarem o mendigo, um homem desceu do carro, olhou pra ele, voltou e saiu sem prestar socorro. Todos ficaram sem entender. As pessoas se aglomeraram e chamaram o socorro que o levou para o hospital com machucados nas costas e nas mãos”, informou uma testemunha.

Outras Notícias

Veja Também