Premiação por título brasileiro poderia pagar 1/4 da dívida do Palmeiras com patrocinadora


Clube tem que devolver os R$ 120 milhões investidos em contratações

GLOBO ESPORTE

Com o título brasileiro, conquistado antecipadamente neste domingo, na partida contra o Vasco, o Palmeiras receberá em premiações um total de R$ 30 milhões, o que representa um quarto da dívida com a Crefisa.

O montante leva em conta R$ 18 milhões que serão pagos pela Confederação Brasileira de Futebol ao vencedor da competição mais uma quantia de R$ 12 milhões pré-estabelecida no contrato com a própria patrocinadora.

/Foto: Reprodução

No acordo com a Crefisa, que foi alterado depois de uma multa da Receita Federal à empresa, o Palmeiras é obrigado a devolver (com correção de juros) o valor investido por ela em contratações de jogadores. Foram ao todo cerca de R$ 120 milhões.

Antes da alteração, se não conseguisse vender um desses jogadores por valor igual ou superior ao emprestado pela Crefisa, a patrocinadora arcaria com o prejuízo. O que não mudou no novo contrato é que um eventual lucro na venda seguirá com o clube.

O Palmeiras não precisa pagar à empresa os R$ 30 milhões que receberá em premiação. A obrigação por contrato é devolver o investimento após a saída de cada um dos jogadores que foram contratados com a ajuda financeira.

A diretoria ainda não se manifestou sobre o valor e como pagará a premiação aos jogadores. A tendência é de que os atletas que mais atuaram no Brasileirão recebam valores maiores.

Festa sem taça

Mesmo com a conquista antecipada do Campeonato Brasileiro de 2018, o Palmeiras só receberá a taça no último jogo, contra o Vitória, em sua arena, que deverá contar com um grande número de torcedores – o Verdão possui a terceira melhor média de público da competição nacional.

A CBF decidiu não entregar o troféu numa partida em que o campeão seja visitante, justamente para poder fazer a festa na presença da torcida que ganhou o título.

Outras Notícias

Veja Também