Rio Branco, Acre,





PF cumpre mandados contra candidatos eleitos suspeitos de compra de votos em Cruzeiro do Sul


Foram cumpridos três mandados de prisões temporárias e oito mandados de busca e apreensão nas residências dos investigados e na Câmara Municipal de Cruzeiro do Sul

SAIMO MARTINS, DO CONTILNET

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta quinta-feira (20) a ‘Operação Sufrágio’, como objetivo de investigar esquemas de compra de votos, transporte irregular de eleitores e outras infrações relacionadas às últimas eleições.

As investigações, iniciadas a partir do pleito eleitoral, apontaram indícios de que ao menos três candidatos de Cruzeiro do Sul teriam sido beneficiados pela compra de votos, sendo que dois deles foram eleitos.

Foram cumpridos três mandados de prisões temporárias e oito mandados de busca e apreensão nas residências dos investigados e na Câmara Municipal de Cruzeiro do Sul.

/Foto: Reprodução

Dentre os presos, está o cabo eleitoral da campanha de um deputado eleito pelo Acre e diplomado na noite da última quarta-feira (19). Há evidências de que ele teria ofertado lotes, produtos de supermercados, combustível, serviços de saúde e até expedição de carteiras de habilitação para os eleitores.

Existe suspeita de que alguns dos investigados chegaram a custear, de forma irregular, os gastos de campanhas, bem como fornecer produtos alimentícios e botijões de gás em troca de votos.

Além das buscas, a polícia ouvirá testemunhas em busca do esclarecimento dos fatos. Os presos serão encaminhados para a Unidade Prisional Manoel Nery, em Cruzeiro do Sul, interior do Acre. Os nomes dos suspeitos presos ainda não foram divulgados. Mais informações a qualquer momento.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste portal. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Comentários

comentários



Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste portal. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Outras Notícias

Veja Também