Rio Branco, Acre,





Ronaldinho Gaúcho ignora processos e divulga marcas pelo país


Ex-jogador foi condenado pela construção de um trapiche em área de preservação permanente em Porto Alegre

ESPORTE AO MINUTO

O ex-jogador Ronaldinho Gaúcho está em tour pelo país participando de eventos publicitários e partidas festivas. Desde que pousou no Brasil há cerca de uma semana, ele foi tietado pelo público e blindado por seus assessores. O garoto-propaganda dançou, driblou amigos e desconhecidos e posou para fotos, mas ignorou os processos por crime ambiental que enfrenta na Justiça do Rio Grande do Sul.

A Justiça gaúcha condenou Ronaldinho e seu irmão, Roberto Assis, que o acompanha em suas viagens, pela construção de um trapiche em área de preservação permanente em Porto Alegre e determinou a apreensão de seus passaportes enquanto os irmãos não pagarem uma multa no valor de R$ 8,5 milhões.

Em outro processo, o Ministério Público conseguiu a apreensão de bens dos irmãos porque eles não cumpriram um acordo feito com a Promotoria depois de danos ambientais causados durante a construção do Instituto Ronaldinho Gaúcho. O MP chegou a declarar que o ex-jogador “ridiculariza a Justiça”.

Ronaldinho e Assis têm preferido se pronunciar apenas por meio de seus advogados. Na única oportunidade em que a reportagem teve a chance de questioná-lo sobre os processos, durante uma entrevista coletiva em Belém, o ex-jogador evitou se manifestar. “Não tenho nada a declarar”, disse ele.

A pergunta causou apreensão entre a equipe de Ronaldinho e seus patrocinadores, que chegaram a dizer que o ex-jogador não deveria ser questionado sobre o assunto durante ocasiões festivas.

“Para vocês, esse talvez seja um tema importante, mas a imprensa paraense está muito honrada de ter a presença dele aqui”, afirmou Jean Pierre Aguiar, representante de marcas como a Vrauu Energético, que tem Ronaldinho como sócio e garoto-propaganda. “Esse assunto [processos] é particular dele, uma coisa que ele tem que resolver, uma questão pessoal que não cabe a mim nem a ninguém tentar entender. Para mim, como empresário, não muda nada”.

Na capital paraense, Ronaldinho deu entrevistas para veículos da imprensa local, mas também não tratou dos processos. Ao lado do lateral Yago Pikachu, do Vasco, ensaiou passos de carimbó, a dança típica do estado. Na quadra, fez brincadeiras com ídolos do esporte local, na presença de cerca de 5 mil pessoas, um recorde para partidas de futsal no ginásio Mangueirinho.

Seus patrocinadores também anunciaram sua presença VIP em uma balada, na qual Ronaldinho tocaria pagode com a banda convidada, mas o evento acabou cancelado.

“Ele é um atleta irretocável na carreira dele, um ser humano admirável, respeitoso e carismático, trata todo mundo bem”, afirmou o empresário, que não viu a condenação por crime ambiental causar danos na imagem do pentacampeão mundial. “Ninguém conversou ou quis saber disso aqui.”

O tour do ex-jogador pelo Brasil começou no último dia 9, quando ele participou do “Legends Game”, no Ibirapuera, em São Paulo, e lançou um aplicativo que traz notícias sobre sua rotina. Ele chegou e saiu do evento sem ter contato com os jornalistas.

Na quinta-feira (13), em Brusque (SC), convidado a participar de um amistoso de futsal com amigos do ex-meia Zé Roberto, Ronaldinho gravou vídeo ao lado de Luciano Hang, o dono das Lojas Havan, que financiou o evento. Em conversa com jornalistas, o assunto dos processos não pôde ser abordado. Em uma semana de atividades no Brasil, o melhor jogador do mundo em 2004 e 2005 esteve sempre acompanhado de uma multidão de fãs e foi tietado por onde passou.

No Pará, por exemplo, foi recebido aos gritos de “Bruxo” e o jogo do qual participava chegou a ser interrompido quando a torcida invadiu a quadra para abraçá-lo. Garoto-propaganda do Barcelona, Ronaldinho confirmou, através de seu irmão, que seu jogo de despedida “oficial” acontecerá na capital catalã, em setembro do ano que vem. Mesmo com o passaporte brasileiro apreendido, o ex-jogador pode viajar porque também tem passaporte espanhol. Com informações da Folhapress.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste portal. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Comentários

comentários









Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste portal. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Outras Notícias

Veja Também